15.10.2019 | 19h00


CONTA DE LUZ

Energisa crítica 'agilidade' de CPI, mas admite 'culpa' em não informar população



O diretor-presidente da Energisa Mato Grosso, Riberto José Barbanera, criticou a rapidez em que foi criada a CPI contra a concessionária de energia elétrica na Assembleia Legislativa.

Ele comentou que o assunto evoluiu de audiência pública, para questionar sobre os serviços prestados pela empresa no Estado, para uma CPI em apenas três dias, sem a oportunidade da empresa se posicionar. No entanto, ele alega que a concessionária faz “mea culpa” por não ter esclarecidao população e deputados sobre os números e ações.

“Talvez, nós da Energisa, tenhamos falhado em algum momento de levar um pouco de conhecimento, um pouco mais de esclarecimento a toda população, a toda sociedade e a própria Assembleia Legislativa pra contar o que tem aqui, porque isso é assim, porque isso não é assim. Se nós pensarmos em CPI, o assunto evoluiu de uma audiência pública pra uma CPI em três dias, então foi muito rápido isso a gente não teve tempo se posicionar”, destacou.

A CPI da Energisa foi criada na semana passada, após o deputado Elizeu Nascimento conseguir 19 assinaturas no requerimento. Nesta semana, o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM), deve anunciar os membros da comissão.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO