21.07.2019 | 10h06


DINHEIRO DOS GRAMPOS

Coronel afirma que levou calote de R$ 60 mil de Taques



O ex-secretário da Casa Militar, coronel da Polícia Militar Evandro Lesco, réu confesso no esquema de grampos ilegais em Mato Grosso, revelou à Justiça que tomou calote de R$ 60 mil do ex-secretário-chefe da Casa Civil Paulo Taques, primo do ex-governador Pedro Taques (PSDB).

Lesco contou ao juiz Marcos Faleiros, em depoimento na 11ª Vara Especializada da Justiça Militar de Cuiabá, que o valor é referente ao investimento no sistema Sentinela usado para operar as escutas ilegais no Estado. Como, segundo o coronel, Paulo Taques era o “dono” do esquema de arapongagem ele teria se comprometido a reembolsar o militar que contraiu uma série de empréstimo para manter o “negócio clandestino”.

As revelações vieram à tona na semana passada depois que os militares envolvidos no esquema tiveram acordo de delação premiada negado pelo Ministério Público Estadual. Eles tentam agora fechar colaboração unilateral com a Justiça, por isso tem confessado fatos novos no processo.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER