20.02.2020 | 11h08


DIRETO AO PONTO / MAURO SEM VICE

Botelho: Eu só digo pra você; estou pronto pra sentar naquela cadeira



O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), disse que está preparado para assumir o comando do Palácio Paiaguás, caso o vice-governador, Otaviano Pivetta (PDT) vença a eleição suplementar ao Senado.

“Eu só digo pra você: “estou pronto pra sentar naquela cadeira””, declarou Botelho em conversa com jornalistas após a sessão de quarta-feira (19).

No último final de semana, o PDT oficializou a pré-candidatura de Pivetta ao Senado e, com isso, Mato Grosso poderá ficar sem vice para substituir o governador Mauro Mendes (DEM) durante ausências pra viagens ou férias.

Caso Otaviano vença o pleito, Mato Grosso pode ficar pela segunda vez consecutiva sem vice-governador. Na última gestão do tucano Pedro Taques, Carlos Fávaro (PSD) deixou o cargo pra também concorrer ao Senado, mas ficou em terceiro lugar. Botelho já assumiu o comando do Estado, por alguns dias, no ano retrasado durante a gestão de Pedro Taques.

Além disso, poderá ser a segunda vez que Mauro Mendes administrará sem vice. Quando prefeito de Cuiabá seu vice, João Malheiros renunciou ao cargo após ter sido diplomado.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Fenix  20.02.20 13h25
Mas não sendo a cadeira um ser inanimado, a mesma não te quer semtado nela. LOGO DIREI QUE GANHARA PARA SENADO. DESSES QUE JA SE MANIFESTARAM NENHUM SERA VENCEDOR.

Responder

0
0
Teka Almeida  20.02.20 12h25
Alguém avisa ai ao "mil e uma utilidades" que em Londres ainda está vago o cargo do Harry na Familia Real, já que se acha o suprasumo para todos os cargos. O que lhe falta é CARATER e VERGONHA NA CARA.

Responder

5
1
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO