11.11.2019 | 18h30


MORTA COM TIRO NA CABEÇA

Assassino fica mudo na frente de delegado; Engenheira só queria um chocolate



Júlia Barbosa de Souza, de 28 anos, havia parado em uma conveniência de posto de gasolina para comprar um chocolate e foi morta com tiro na cabeça, logo depois,  por Jackson Furlan - que se entregou no último domingo (10). 

Segundo delegado do caso, André Ribeiro, o casal retornava para casa de madrugada e Júlia pediu que o namorado comprasse um chocolate. Ao sair do posto, na Avenida Natalino João Brescansin, onde o trânsito estava lento, o veículo da vítima freou para não bater em um VW Gol. A Hilux com o assassino estava atrás, acelerando para passar e o Furlan, segundo o delegado, furioso com a lentidão.  

Jackson Furlan começou a perseguir as vítimas pelas ruas da cidade e, quando alcançou disparou vários tiros; um acertou a cabeça da jovem, que morreu na hora. Ainda segundo informações da Polícia, o carro que o criminoso dirigia era emprestado.

Militares encontraram o veículo abandonado em uma região de mata, no bairro Rota do Sol, em Sorriso. O assassino, ao se apresentar, permaneceu em silêncio por ordem do advogado. 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO