04.07.2020 | 10h52


CORONAVÍRUS / 600 CASOS SUPEITOS

Penitenciária Central recebe remédios, EPIs e testes do governo para covid; juiz ameça soltar bandidos

Medida foi adotada após governo do Estado ser notificado pela Justiça do risco de 600 presos serem colocados em liberdade por falta de atendimento



Governo do Estado envia mais medicamentos e Equipamentos de Proteção individual para a Penitenciária Central do Estado (PCE), além de 500 testes rápido de covid-19. Também iniciou neste final de semana o atendimento de equipe de saúde em sistema de plantão. Na penitenciária só havia atendimento médico de segunda a sexta-feira e, aos fins de semana, presos que passavam mal tinham que ser encaminhados para unidade de saúde.

As medidas atendem recomendação do juiz da Vara de Execuções Penais de Cuiabá, Geraldo Fidélis. Mas, diferente do que o magistrado foi informado, a direção da PCE nega que 600 presos estejam com sintomas de covid-19. Afirma que quatro presidiários da unidade testaram positivo para o novo coronavírus e alguns outros possuem sintomas. Por precaução, a diretoria afirma que isolou todo raio 1 e o shelter, que juntos somam cerca de mil presos.

A informação foi passada pelo diretor da PCE, Agno Ramos, durante videoconferência realizada na tarde desta sexta-feira (03), que reuniu o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, o secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores, com representantes da Secretaria Estadual de Saúde, Secretarias Municipais de Saúde de Cuiabá e Várzea Grande, juiz de Execução Penal, Geraldo Fidélis, representantes da Defensoria Publica, Ministério Público e o Conselho da Comunidade da Vara de Execução Penal (Concep).

Na decisão do juiz da Vara de Execução Penal, Geraldo Fidélis, a Sesp deve convocar os profissionais da área da Saúde lotados no Sistema Penitenciário para atuar em plantão em fim de semana, o que já foi acatado e os profissionais de saúde de Cuiabá e Várzea Grande estarão de prontidão, caso seja necessário. Dentro da PCE, há uma unidade básica de saúde para atendimento dos presos de segunda a sexta-feira. Com a decisão, haverá plantão de saúde aos fins de semana também.

Os casos graves, se surgirem, devem ser transferidos para a Policlínica do Verdão, no caso da Covid-19, ou no Hospital Municipal de Cuiabá, em caso de outras doenças graves como infarto, por exemplo.

A representante da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, Nilva Maria Fernandes de Campos, e o secretário municipal de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, disseram na reunião que não é possível ter um protocolo de atendimento diferente do que já é ofertado para a população. Os casos de sintomas leves devem ser tratados nas unidades básicas de saúde, e os casos mais graves nas policlínicas e UPAs para aguardar leito para ser encaminhado aos hospitais de referência.

Testagem

Também foi repassado pela representante da SMS de Cuiabá que o protocolo de aplicação dos testes rápidos deve ser cumprido apenas em pessoas sintomáticas, com mais de oito dias de aparição dos sintomas. Da mesma forma, o RT-PCR, que é feito com a coleta de secreções, deve ser feito entre o terceiro ao quinto dia de sintoma, com pedido médico, pois o mesmo é testado pelo Laboratório Central (Lacen).

A testagem em presos sintomáticos tem sido realizada pela equipe médica da unidade. Foram 31 casos testados até o dia 02 de julho, em presos sintomáticos, sendo que 27 deram negativo.

Leia mais

Penitenciária Central tem 600 presos com suspeita de covid-19 e juiz pode soltar todos

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO