25.05.2020 | 09h44


CORONAVÍRUS / SINTOMAS DE DENGUE

Família contesta morte por covid-19 e afirma que exame é falso

Caminhoneiro de 35 anos morreu neste domingo em Rondonópolis e família quer levar corpo para Nobres, onde ele morava


DA REDAÇÃO

A família do caminhoneiro Elton Rocio de Camargo, de 35 anos, que morreu vítima da covid-19, no último domingo (24), em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), contesta o comunicado dado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e afirma que o exame é falso. Elton estava internado no hospital privado Materclin, desde sexta-feira (22), e morreu às 10h43 de domingo.  

Segundo depoimento gravado pela tia da vítima, Maria Helena, o primeiro exame feito na unidade privada deu negativo para Sars-cov-2, e o sobrinho morreu após ter uma parada cardíaca. Na certidão de óbito, obtida com exclusividade pelo , a causa da morte consta como insuficiência respiratória aguda e suspeita da covid-19. (veja na galeria abaixo)

Conforme explicou Maria Helena, a família saiu de Nobres (146 km a médio-norte da Capital) e foi para Rondonópolis realizar os trâmites para velar o corpo na cidade da família. O Materclin já havia liberado o corpo para a funerária, que iria levar Elton para Nobres, quando chegou um exame da SMS informando que ele morreu de covid-19.

A tia de Elton alega que possui um vídeo em que o médico da unidade privada alega que o sobrinho não testou posivito para coronavírus. 

Diante disso, o corpo ficou retido na cidade e a família tenta se reunir com SMS atrás de explicações. Eles contestam o diagnóstico e afirmam que Elton tinha sintomas de dengue, não de coronavírus.

Ao , a Prefeitura informou que o exame é verdadeiro e cabe a família provar que é falso. Além disso, a SMS aponta que não dá diagnóstico, e que eles partem do hospital. 

Veja o vídeo:  











(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mário  25.05.20 15h35
Não vai ressuscitar o cara. O COVID tem a janela imunológica e é comum o primeiro exame dar negativo. A vdd é que hoje muita gente tem "preconceito" contra que é infectado, como ocorria com o HIV. Covid não é doença só respiratória. Afeta rins e inflama o coração, causando infartos se o paciente não tiver bom suporte de UTI. Por isso cloroquina, ótimo remédio para malária, pode fazer muito, mas muito mal, para quem tem na Covid complicação cardíaca. Por favor, não vejam isto como uma posição política. Mas é a realidade.

Responder

25
4
ROSINO BOMFIM  25.05.20 15h05
Como esse caso EXISTEM INÚMEROS PELO BRASIL !!

Responder

7
5
Areal  25.05.20 11h52
Na duvida , manda abrir a caixão , se infectar todos os presentes , que se danem ....

Responder

2
4
Maria Auxiliadora  25.05.20 11h08
Minha senhora, há um monte de falecidos pela covid cujos Primeiros exames deram negativos. Há tb um monte de pacientes que se curaram e os primeiros testes deram negativos. Em ambos os casos, quando há suspeita por conta do sintomas, é feito um segundo exame que pode ou não confirmar o vírus. TODOS OS PACIENTES QUE APRESENTAM SINTOMAS DO COVID FAZEM UM SEGUNDO EXAME SE O PRIMEIRO DER NEGATIVO. Alterar a causa mortis em uma certidão de obito nao vai tornar um psicopata genocida menos responsável pelo caos que se instalou no Brasil, a ponto de os EUA proibir a entrada de egressos do Brasil nas terras americanas. Essa atitude é de um fanatismo insano. Pede a contraprova, ou seja, outro exame ao invés de ir para imprensa expor fanatismo ideológico, que ficou muito feio para vc! Repórtermt, para de dar palco para gente que só está vivo porque existe a ciência médica e ainda assim prefere acreditar em um ignóbil-inculto-vulgar-boca-suja do em cientistas.

Responder

28
48
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO