21.09.2019 | 18h44


DECEPÇÃO E DESGASTE

Selma admite abandonar política: Se você entra para consertar, não aguenta mais que um mandato


DA REDAÇÃO

No centro do escândalo político que revelou a intenção do senador Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), em barrar a CPI da Lava Toga, a senadora Selma Arruda, que deixou a sigla e migrou para o Podemos, após revelar a pressão sofrida para que retirasse sua assinatura, declarou em entrevista ao Conexão Poder, que não tem qualquer intenção em continuar com a carreira política.

“Deixar o mandato agora não. Porque não vou trair as pessoas que confiaram em mim. Elas confiaram e eu vou fazer o mandato e fazer minha parte. Agora, eu não tenho como fazer isso mais no futuro. Digamos, reeleição ou eleição para outro cargo de jeito nenhum. Vou cumprir minha missão e vou voltar para minha casa”, ressaltou.

"Agora, eu não tenho como fazer isso mais no futuro. Digamos, reeleição ou eleição para outro cargo de jeito nenhum. Vou cumprir minha missão e vou voltar para minha casa”, ressaltou.

Questionada se a decepção com o ambiente de tramas políticas foi o motivo, ela avaliou que a melhor definição seria desgaste.

“Vou lutar e quero deixar isso melhor do que eu  encontrei. Agora, acho que você se desgasta muito. Você se desgasta fisicamente muito. Você se desgasta moralmente muito e psicologicamente muito e, então, é uma coisa que eu acho que, se você entra para consertar, você não aguenta mais do que um mandato”, comentou.

Juíza aposentada, ela foi eleita com o slogan “A senadora do Bolsonaro” e foi a grande surpresa das urnas ao obter 678.458 votos válidos, o que representa 24,65%.

Selma enfrenta um processo de cassação do mandato e diz que espera pela absolvição para manter a coerência da moralidade de seu nome.

 

Veja a entrevista na íntegra:

 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Gilston  22.09.19 12h48
Ela achou que prendendo Silval e riva, ela estaria concertado o Brasil. Pra consertar o Brasil tem que primeiro cumprir as leis do cx2.

Responder

1
1
Maria Auxiliadora   21.09.19 19h42
Ao ler a ameaça da senadora senti um ímpeto de alegria e pus-me a rir. Foi cassada em duas instâncias. Como ex juíza sabe que há uma nano possibilidade de o TSE não confirmar as decisões anteriores que foram, diga-se para não esquecer, unânimes. Então, não vem com essa verborragia “política nunca mais”, pois isso não é escolha da nhanhá! Tchau, “querida”!!

Responder

1
1

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO