10.02.2020 | 07h45


CONEXÃO PODER / ESTADO MÍNIMO

Pivetta defende fim da estabilidade do servidor e privatização da Saúde

O vice-governador Otaviano Pivetta diz que o Estado tem que ser um administrador de contratos geridos pela iniciativa privada o que, segundo ele, seria mais econômico e eficiente.


DA REDAÇÃO

Em entrevista ao Conexão Poder, o vice-governador, Otaviano Pivetta (PDT) revela ser contra a estabilidade do servidor público e defende que o Estado privatize serviços de atendimento, inclusive da Saúde Pública.

“Aquilo que é possível comprar no mercado privado, nós temos que comprar. O Estado precisa ser um administrador de contratos. Agora, o Estado não pode se omitir de prestar alguns serviços essenciais, que só ele pode prestar e aí cito a Educação, Saúde Pública, a infraestrutura e a Segurança Pública. Fora essas quatro áreas não temos que fazer concurso público. Não temos que dar estabilidade para ninguém”, argumenta Pivetta, que é pré-candidato ao Senado.

Na entrevista, ele pontua que  até os hospitais deveriam ser administrados de forma privada, o que, segundo ele, seria mais eficiente e econômico.

“Posso comprar bens, serviços e colocar à disposição da sociedade e o Estado fazer a gestão dos contratos, o que é muito mais fácil do que fazer gestão de milhares de pessoas pelo Estado afora, sem poder acompanhar”, defende ao avaliar que o Estado não consegue ter controle sobre seus servidores.

Pivetta comenta que essa discussão vem sendo feita no Governo do Estado e algumas parcerias já concebidas.

Veja o vídeo:











(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Bruninha   11.03.20 21h08
Não votei em vc na última eleição pra prefeito em Lucas do Rio Verde, não votei em vc nas eleições de governador, e não voto agora, muito menos em quem vossa senhoria apoiar.

Responder

0
0
João Belém   29.03.20 12h50
Estamos juntos

Responder

0
0
Deocleciano de Abreu  12.02.20 23h01
E por isso é por outras coisas mais, que apoio e voto no Júlio Campos para ser o Senador por Mato Grosso / esse Piveta não vale um pequi rápido. E conclamo a todos servidores públicos a votarem em quem nos conhece e nos defende: Júlio José de Campos...o 253.

Responder

8
4
Cuiabano  12.02.20 17h17
Tá vendo, servidor público. Vote no Pivetta, como fizeram votando no Bolsonaro. Só ferro para o trabalhador. Vê se eles mexem com os militares, com as filhas viúvas dos militares, com políticos, etc. Vão pras ruas apoiarem Bolsonaro, Pivetta, Emanuelzinho, Welliton Fagundes, etc. Todo os politicos empresários só mete o ferro no trabalhados. Vocês não aprendem NUNCA!!!

Responder

15
1
CARLOS MIGUEL RONDON DE SOUZA  11.02.20 16h39
Acabou a estabilidade vao pagar o fundo de garatia

Responder

7
2
Maria Auxiliadora   12.02.20 07h51
Contrato por hora trabalhada, sem vínculo empregatício, sem férias, sem abono, sem 13°, sem descanso remunerado...enfim relação de emprego gerido conforme a vontade do gestor, afinal para que CLT e justiça trabalhista se temos patrões conscientes e generosos???

Responder

13
2
joana  10.02.20 16h45
alguem sabe me informar se o plano de saude da unimed dos servidores do judiciario mesmo eles fazendo 60 anos não tem aquele aumento enorme que a unimed cobra dos demais. se for ... agora eu sei quem paga por isso

Responder

11
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO