21.02.2020 | 14h30


CONEXÃO PODER / DISPUTA EM CUIABÁ

Nigro nega desistir de candidatura a prefeito e dispensa vice decorativo


DA REDAÇÃO

empresário Carlos Nigro (PSDB), que é ex-secretário de Turismo do Estado, desmentiu ao Conexão Poderque tenha desistido de sua pré-candidatura à Prefeitura de Cuiabá, conforme  circulou na imprensa.

O tucano tratou o caso como fake news, propagada por “fogo amigo”.

“Não é verdade. Nós continuamos e estamos firmes na disputa. Não existe a possibilidade de desistir”, declarou.

Ao Conexão Poder, o pré-candidato comentou que ainda não trabalha com a definição de quem seria seu vice-prefeito, mas afirma que o escolhido tem que ser ficha limpa e ter serviços prestados a Cuiabá.

“Tem que ter idoneidade e representatividade dentro da nossa Cuiabá para que possa somar e não ser um vice só decorativo”, destacou.

Apesar do apoio da presidência e de líderes do PSDB, Nigro enfrenta resistência dos vereadores do partido, que se comprometeram em apoiar a reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro. Ele considera a situação como “contornável” e reforça que não tem intenção de desistir de ser prefeito e compor como vice na chapa do emedebista.

“O PSDB é um partido muito importante para trabalhar como coadjuvante e não ter papel principal nessa eleição”, pontuou.

Atualmente o PSDB realiza uma pesquisa, para consumo interno, para avaliar o nome de Nigro perante o eleitorado. A medida pode servir como ferramenta para convencer os vereadores de que há viabilidade para candidatura.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Alan F  21.02.20 15h08
Até porque o Nigro não foi convidado p compor chapa C prefeito EP para uma possível candidatura à reeleição .

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO