27.02.2020 | 07h55


CONEXÃO PODER / ANÁLISE POLÍTICA

Delação de Riva pode massacrar candidatos em Mato Grosso

A colaboração premiada do ex-presidente da Assembleia Legislativa atinge crimes praticados ao longo de 20 anos nos Poderes Executivo, Legislativo e, “em tese”, no Judiciário.


DA REDAÇÃO

Em análise ao Conexão Poder, os cientistas políticos João Edisom e Onofre Ribeiro comentam os efeitos da delação do ex-deputado José Riva, que detalha 20 anos de corrupção e pode afetar diretamente as candidaturas municipais deste ano, assim como a disputa da eleição suplementar ao Senado.

“Vivemos momento aonde as redes sociais no geral destroem imagens. Então imagino que os nomes  citados serão massacrados nas redes sociais. E muitos (delatados) são candidatos ou vão influenciar alguns candidatos. Exemplo clássico disso é o prefeito Emanuel Pinheiro”, comenta João Edisom.

O analista ainda argumenta que os candidatos podem ser prejudicados só de ter uma foto, com Riva, divulgada na internet, sem nem mesmo terem sido citados na delação.

“É possível que algumas pessoas até repensem a ideia de ser candidato”, avalia.

Já Onofre Ribeiro acredita que a teoria é de grande impacto sobre as candidaturas, mas na prática a delação não deve afetar tanto os resultados, apesar de ser usada como denuncismo intensamente nas campanhas.

“A maioria das pessoas que ele cita está fora da política e também não tem mais voz na política. Os que ficaram têm pouca voz e isso vai servir só para deixar a população mais irritada, porque não vai virar nada”, declara.

“Nada funciona quando envolve política. O Ministério Público é tolerante, o Judiciário é tolerante e os políticos são corporativos e tolerantes”, critica.

Delação

A delação do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva, homologada pelo Tribunal de Justiça na quinta-feira (20), está dividida em 57 caixas ‘box’ que estão na sede do Ministério Público de Mato Grosso (MPE).

A colaboração premiada atinge crimes praticados ao longo de 20 anos nos Poderes Executivo, Legislativo e, “em tese”, no Judiciário. 

Além dos documentos físicos, Riva também entregou pen drive contendo arquivos audiovisuais que comprovam os crimes de corrupção.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

neto  27.02.20 09h09
nao vai dar em nada. por acaso emanuel pinheiro está preso.......

Responder

6
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO