25.03.2020 | 17h00


CONEXÃO PODER / PANDEMIA ECONÔMICA

CDL defende lojas abertas: 'É preciso aprender a conviver com o vírus; não morrer com o vírus'

Setor quer a reabertura das lojas, mantendo medidas de prevenção e isolamento de funcionários em grupo de risco.


DA REDAÇÃO

Diante das medidas de flexibilização em Mato Grosso para o funcionamento de estabelecimentos, durante a pandemia do Coronavírus, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá, Nelson Soares Júnior defendeu, em entrevista ao Conexão Poder, um entendimento dos governantes para que haja sobrevivência econômica.

“Eu acredito que a gente vai encontrar um rumo de conviver com o vírus e não morrer com o vírus. Temos que aprender a conviver com ele e tomar medidas que contenham o mínimo do cotidiano da pessoas”, declarou.

O presidente comentou que busca sensibilizar os governantes para que  o setor possa voltar ao trabalho, mantendo medidas de prevenção e deixando em isolamento apenas funcionários do grupo de risco.

Ele argumenta que as restrições causadas pela pandemia não irão durar apenas 15 dias, portanto, é preciso flexibilizar.

“O que nós precisamos é que quem não está no grupo de risco volte à atividade normal. Fazendo todas as medidas de prevenção como estamos fazendo, independente da pessoa não estar em grupo de risco. Vai ter distanciamento, vai ter higienização, vai ter limitação de clientes, vai ter tudo, mas quem tem que ficar isolado é quem está no grupo de risco”, declarou.

Sem essa flexibilização, a estimativa econômica, segundo o presidente, é de caos.

“Vamos ter um caos ali na frente porque estão todos começando a demitir e a hora que acabar o salário da demissão como que vai fazer para comer?”, comenta.

Soares argumenta que é preciso uma unificação do entendimento dos governantes e acredita nessa sensibilização, já que sem o comércio até os servidores públicos podem ficar sem salário.

É proibido o funcionamento de shoppings, bares, lojas de conveniência e academias. Está permitido o atendimento ao público para: mercados, farmácias, lojas de materiais de construção. Restaurantes e padarias poderão trabalhar somente com delivery ou retirada dos alimentos no local.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Teka Almeida  26.03.20 08h59
É preocupante a situação?????? É... mas de que adianta abrir o comércio se não tem gente para comprar???? O comercio essencial não parou, está para servir. Agora vamos raciocinar, vou abrir minha loja de aviamentos, de brinquedos, de calçados, de roupas... e quem vai lá comprar???? Vão gastar com insumos e não vão ter retorno. A ordem é ficar em casa e a maioria da população está seguindo. Vejam o exemplo dos ônibus, segundo os jornais caiu 91%. É questão de lógica.

Responder

5
2

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO