28.04.2011 | 11h52


CIDADES

Zaeli admite não ter dinheiro para repassar ao Pronto Socorro

A cidade de Várzea Grande vive seu pior momento político e administrativo, além de um caos sem precedentes na Saúde Pública. O prefeito Tião da Zaeli relatou ao RepórterMT, que a divergência nos números, noticiada pelo site, nos repasses da secretaria de Saúde para a Fusvag, são reais.

LARISSA MALHEIROS 09h38
DA EDITORIA

O prefeito Tião da Zaeli (PR) revelou que a secretaria de Saúde vive um momento "lastimável" e em crise financeira. Ele confirmou a denúncia realizada pelo RepórterMT há dois meses, de que a pasta não faz o repasse de R$ 2 milhões mensais para a Fundação de Saúde (Fusvag), que administra o Pronto Socorro. "A prefeitura não consegue arrecadar o suficiente para suprir as necessidades da cidade. Tenho o conhecimento do não repasse, pois não temos este dinheiro mensal, e sim um deficit neste valor", exclamou Zaeli.

O vereador Fábio Saad (PTC) relatou que, no ano passado, foi aprovado pela Câmara, o repasse de R$ 30 milhões destinados para Saúde de VG em 2011, sendo R$ 2 milhões para o PS, porém o diretor administrativo da Fusvag, João Santana Botelho, comentou que em março a unidade recebeu apenas R$ 50 mil. Já em 2010, o diretor informou que o PS recebeu R$ 5,2 milhões, ou R$ 400 mil mensais.

De acordo com Botelho, além da verba disponibilizada pelo município, o PS recebe do Estado um repasse de R$ 1,2 milhão por mês e completando os valores administrados pela unidade, o governo federal encaminha em média R$ 900 mil mensais.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO