09.07.2020 | 10h50


CIDADES / REFERÊNCIA PARA COVID

UPA Verdão computa 80% de alta médica e evita transferências de pacientes para hospitais

Unidade não é portas abertas, ou seja, só são aceitos pacientes via Central de Regulação.



Com apenas um mês de funcionamento, mais de 80% dos pacientes internados por Covid-19 na UPA do bairro Verdão, em Cuiabá, receberam alta hospitalar descartando a necessidade de transferências para UTIs em hospitais referências para a doença. Desde oito de junho, quando foi destinada pela gestão Emanuel Pinheiro como centro de apoio exclusivo às demais Upas e policlínicas no atendimento aos agravados pelo vírus, a unidade já acolheu mais de 86 pessoas.

A unidade oferta estrutura com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e 26 leitos entre box de emergência, estabilização e de observação. De acordo com secretário-adjunto de Assistência em Saúde, Luiz Gustavo Raboni Palma, dos 86 pacientes, apenas 13 precisou ser transferido para UTIs. Os outros 73 receberam alta após permanência média de sete dias de internação. Resultado que, segundo ele, só foi possível graças a uma força-tarefa conjunta das Atenções em Saúde do Município.

“Esse resultado só foi possível graças ao empenho realizado por meio de força-tarefa de todas as áreas da Saúde em Cuiabá. Cada detalhe, desde o esforço do prefeito Emanuel Pinheiro para conseguir os respiradores, a dedicação dos profissionais que atuam do acolhimento nas unidades ao transporte e atendimento na internação. A celeridade e dedicação de cada um deles corroboraram para estarmos celebrando esses 80% que já estão curados e com suas famílias”, frisou Raboni.

Durante a pandemia, o perfil operacional da UPA Verdão não é portas abertas, ou seja, só são aceitos pacientes via Central de Regulação. Frente ao fato, a UPA, que na prática deveria receber apenas cuiabanos, também atendeu pacientes de municípios vizinhos e até de outros estados. Do montante geral nesses 30 dias, 49 pessoas atendidas são residentes de Cuiabá, 27 de Várzea Grande, cinco de outros municípios da baixada cuiabana, dois de Chapada dos Guimarães e três do Rio de Janeiro.

Conforme o secretário de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho, esse número comprova que a decisão de Pinheiro em destinar a unidade apenas para Covid-19 foi assertiva. “O prefeito foi um dos poucos gestores do país que começou a pensar no acolhimento aos doentes por coronavírus quando a doença ainda era epidemia. E uma das decisões que teve total embasamento técnico, foi aguardar o melhor momento para entregar a UPA Verdão para a população. Hoje, a unidade está contemplando não apenas Cuiabá, mas como os próprios números dão conta, municípios vizinhos e até pessoas do Rio de Janeiro. Um resultado humanizado, que demonstra que a decisão mais uma vez foi assertiva e, como de praxe à Saúde de Cuiabá, está beneficiando pessoas de outros municípios do Estado”, completou.

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Pedrinho  09.07.20 12h49
Logico, chega la eles dao dipirona e mandam ir para a casa, ai esta de “alta”, passa uns dias as pessoas pioram em casa e vao para outro hospital e morrem. Parabéns Emanoel

Responder

2
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO