21.05.2020 | 12h37


CIDADES / RESULTADO EM 72H

UFMT começa fazer exames da covid-19 em Sinop e mais 14 cidades

Desde o início da pandemia Sinop registrou 32 casos positivos e dois óbitos



A Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Sinop, começou a realizar os testes de covid-19 nesta quarta-feira (20). A instituição projeta realizar 20 exames por dia e os resultados devem sair em até 72 horas a partir do recebimento da amostra. A unidade terá uma equipe composta por 13 profissionais da instituição atuando diretamente nos trabalhos, sendo oito professores, três médicos veterinários residentes e duas técnicas. Todos passaram por treinamentos e alguns já contam com experiência na técnica. Para poder realizar o exame RT-PCR (em tempo real) para o vírus, a instituição precisou ser habilitada pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Mato Grosso (Lacen).

Com o novo espaço, que desafogará a demanda do Lacen, receberá amostras de Sinop e outras 14 cidades, que são Cláudia, Feliz Natal, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Nova Ubiratã, Santa Carmem, Santa Rita do Trivelato, Sorriso, Tapurah, União do Sul, Vera e Itaúba.

Conforme a coordenadora do projeto, professora Gisele Facholi Bomfim, com a verba recebida, atualmente, a instituição tem capacidade para testar 650 amostras. “Com essa testagem podemos dimensionar o tamanho dessa epidemia na região e, com isso, direcionar os cuidados com o paciente, tratamento, definir um prognóstico, antecipando o curso da doença, e adotar medidas para controlar e prevenir sua progressão e, nesse ponto, temos subsídios para discutir, por exemplo, a necessidade ou não de se fazer isolamento social, ou seja, as autoridades podem tomar decisões com embasamento científico”, destacou, ao Só Notícias.

Apesar da instituição realizar a testagem, Gisele destacou que caso o paciente apresente sintomas da doença e acredite estar contaminado ele deve “se dirigir à unidade básica de saúde do seu município. A UFMT não atende pacientes com suspeita de Covid-19 e não coleta amostra. A UFMT recebe amostras exclusivamente das secretarias municipais de Saúde”, frisou.

Além disso, em seguida a instituição liberará os resultados “via Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). As secretarias de Saúde acessam o sistema e repassam ao paciente. Essa é a única forma da pessoa receber o resultado já que a UFMT não fornece resultado diretamente ao paciente”, acrescentou.

A professora também lembrou que “a iniciativa só pode ser concretizada com a parceria da Usina Hidrelétrica de Sinop e Rotary Club Teles Pires, os quais doaram equipamentos e insumos que o laboratório não dispunha” e ao todo foram investidos “R$ 153 mil sendo adquiridos uma Cabine Segurança Biológica Classe II e uma autoclave”, completou.

O projeto ainda contou com o auxílio de costureiras solidárias que ajudaram na confecção de jalecos, e capotes para os profissionais usarem no diagnóstico, além dos membros do Laboratório de Controle de Qualidade de medicamentos, que produziram o álcool 70% para uso dos profissionais.

Desde o início da pandemia Sinop registrou 32 casos positivos. Destes 19 se recuperaram, oito estão em isolamento domiciliar e três internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Há duas mortes (dois homens de 45 e 61 anos que residiam em Sinop). Além disso, dois pacientes são considerados suspeitos e aguardam os resultados dos exames.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO