23.05.2011 | 10h16


CIDADES

Trinta mergulhadores buscam sobreviventes no lago Paranoá em Brasília

R7  8h00

Trinta mergulhadores buscam, na manhã desta segunda-feira (23), sobreviventes do naufrágio de um barco no lago Paranoá, em Brasília (DF). O acidente ocorreu na noite de domingo (22).

Veja outras fotos do acidente

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que retomou as buscas por volta das 6h desta segunda-feira (23), cerca de cem pessoas estavam a bordo do barco. No momento do acidente ocorria uma festa. Um bebê de sete meses morreu e 94 pessoas foram resgatadas com vida.

Embora o número de pessoas que estavam na embarcação ainda não tenha sido determinado de maneira exata - a lista de pessoas a bordo afundou com o barco -, o Corpo de Bombeiros informou, na manhã desta segunda-feira, que trabalha com o número de oito desaparecidos - incluindo a mãe do bebê que morreu. Inicialmente, os bombeiros tinham informado que procuravam sete desaparecidos.

O próximo passo do resgate do Corpo de Bombeiros é içar a embarcação, o que deve ocorrer até o fim desta segunda-feira.

Acidente
O acidente com o barco aconteceu por volta das 21h do domingo. A suspeita é de que uma lancha teria batido no barco, que afundou em poucos minutos. A embarcação, de dois andares, é usada normalmente para festas no lago, e tem capacidade para 90 pessoas.

O comandante operacional do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Blumm, disse que não havia uma lista oficial de passageiros. No momento do naufrágio, no entanto, os bombeiros informaram que pelo menos 104 pessoas estariam na embarcação.

Uma operação com três lanchas, 25 mergulhadores, 56 bombeiros e dois helicópteros fez a busca das vítimas durante toda a madrugada. Pelo menos 11 sobreviventes, dos 94 resgatados, nadaram sozinhos até a margem. Uma base de operações dos bombeiros foi montada no clube da Ascade (Associação dos Servidores da Câmara dos Deputados) para atender às vítimas. Dos resgatados, três foram encaminhados para o hospital, sem ferimentos graves.

O delegado fluvial da Marinha do Distrito Federal, comandante Fabio Rogério Leite, disse que um inquérito administrativo foi aberto para investigar o acidente. Segundo o comandante, a embarcação - que estava regularizada - adernou pela popa, o que ajudou a afundar mais rápido.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO