19.08.2011 | 19h25


CIDADES

TJ nega liberdade para mulher de PM que atropelou e matou menino

MAYARA MICHELS   18h00
REDAÇÃO

O segundo pedido de habeas corpus em favor de Sandra Gisele Tomáz, de 34 anos, presa por atropelar  e matar uma criança em Cáceres, foi negado pelo Tribunal de Justiça de MT. A justiça avaliou que a prisão preventiva de Sandra está fundamentada. Há quase três meses presa, Sandra está na cadeia de Araputanga.

Sandra atropelou Marcelo Arruda da Silva, de 10 anos, que estava sentado na porta de casa, com o portão fechado.  Ele estava brincando com outras crianças quando foi atingido pelo carro que rompeu o muro. Ele teve as pernas esmagadas e morreu depois de passar uma semana em um no hospital privado, em Cuiabá. No dia em que morreu, 28 de maio, completaria 11 anos.

Testemunhas disseram que ela estava embriagada e que o marido dela, um policial militar, e outros agentes alteraram a cena do atropelamento antes da chegada de peritos.

Sandra não tem carteira de habilitação. O veículo que ela usava é alvo de um mandado de busca e apreensão. Sandra também não prestou socorro ao garoto e fugiu do local do acidente.

Em depoimento ela negou ter ingerido bebida alcoólica e disse que foi uma fatalidade. Contou que uma criança passou na frente do carro e ela, no lugar de frear, acelerou, perdendo o controle do veículo e atingindo a casa.

Segundo informações do delegado que investiga o caso, Rogers Jarbas, Sandra irá responder por homicídio doloso, quando a pessoa assume o risco de matar, já que estaria embriagada.


 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO