11.09.2011 | 11h45


CIDADES

Tempo passa a ser principal obstáculo para implantação do VLT

FERNANDA LEITE    10h00
DA REDAÇÃO

O presidente da Agecopa, Eder Moraes, admitiu que não há projeto de desapropriações para os pontos onde o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) passará em Cuiabá. Após vencidas as etapas de aprovações em Brasília, de mudança de BRT para VLT, o obstáculo maior agora é o tempo.

Eder Moraes confirmou que a alteração do projeto de transporte, com a a mudança da matriz de responsabilidade, foi decidida, oficialmente, na última sexta-feira (9), durante uma reunião no Ministério dos Transportes, em Brasília. De acordo com Moraes, todo o trecho em que o modal vai circular ainda está sendo discutido e o levantamento de áreas que sofrerão desapropriações ainda está sendo elaborado. "Estamos correndo contra o tempo. Todo o trecho do VLT será discutido e mapeado ainda", disse.

O secretário extraordinário de governo, para acompanhamento das ações da Agecopa, Djalma Sabo Mendes, disse que está aguardando o projeto, mas como o  número de desapropriações do VLT é menor do que o BRT, os trabalhos serão mais rápidos.

"Os proprietários dos imóveis serão notificados e depois um técnico irá efetuar os estudos sobre os valores a serem pagos por cada imóvel. Os valores serão de acordo com o  mercado".

O modal de transporte tem que estar pronto até 2013 com folga de 6 meses antes dos jogos. O governador Silval Barbosa (PMDB) ainda não realizou o anuncio oficial, mas as informações são que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES fará o financiamento.

O valor estimado por estudo, encomendado pelo governo do estado, sobre a viabilidade do sistema, apresentou um custo de R$700 milhões.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO