alexametrics
25.05.2011 | 10h48


CIDADES

Sem acordo professores mantêm greve por tempo indeterminado em VG

FERNANDA LEITE    09h38
DA REDAÇÃO


Desde segunda-feira (16) 38 escolas estão fechadas e mais de 12 mil alunos da rede municipal de Várzea Grande estão sem aula. O secretário de Educação e Cultura de Várzea Grande, Isaac Nassarden, disse que a prefeitura ainda não tem uma resposta sobre o acordo salarial.

"Do início da greve até hoje, eu já me reuni com a categoria dos professores por duas vezes. Na semana que vem o estudo analítico feito pelos recursos Humanos da prefeitura, deve sinalizar quantos por cento haverá no aumento dos salários. O Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) também será atualizado, hoje está com 93% estabilizado e pretendemos chegar até 100% de integração", explicou.


Neste momento, os professores e militantes sindicais estão em um movimento na Avenida da Feb, para reivindicar o piso salarial. Em Várzea Grande, o piso é de R$ 550,00 e os professores exigem o mínimo do padrão nacional que é de R$ 1.312 nível médio, sendo 25 a 30 horas trabalhadas.

De acordo com a representante do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público subsede Várzea Grande (SINTEP/VG), Maria Aparecida Cortez, nem mesmo quem possui mestrado ou doutorado recebe gratificação salarial.
"A secretaria de Educação ainda não apresentou proposta. Desconhecemos qualquer reunião marcada com o secretário. O salário é uma vergonha, precisamos de aumento por que não estamos conseguindo pagar nossas contas com este salário", denunciou Cida.

Por enquanto o fim da greve é uma incógnita. Segundo os manifestantes enquanto não houver um acordo a greve continuará por tempo indeterminado.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime