alexametrics
30.03.2011 | 22h52


CIDADES

Secretário diz que só negocia se greve acabar, mas médicos não cedem

ROBERTA DE CÁSSIA   13h00
DA REDAÇÃO

Mesmo com a crise na Saúde, a polêmica implantação de gestão das Organizações Sociais (OSS), e greve dos médicos, o secretário de Saúde de MT Pedro Henry disse através de ofício, que não vai negociar com os médicos até que a greve termine.

"Pedro nos mandou uma proposta vaga e ainda propôs que paremos o movimento de greve para que ele comece as negociações", disse Elza Queiróz, diretora do Sindicato  dos Médicos (Sindimed). Na proposta, Henry dá uma resposta item a item.

Confira:

SAMU: Regularizar os cargos comissionados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) até 15 de abril.

Concurso Público: Não cabe a Secretaria de Saúde programar concursos, mas a Secretaria de Administração(SAD),que estaria impedida pela Lei de Responsabilidade Fiscal porque encontra-se no limite com gasto de pessoal.

PCCS: Negociaão com a categoria após a finalização da greve.

Já o Sindimed disse que vai manter a greve e quer uma audiência com o secretário para negociar. "Além da proposta vaga ainda tem o agravante que, se implantarem as OSS, simplesmente não haverá mais concurso nem negociação de plano de carreira e salários, pois o regime é carteira assinada. E os concursados ficam como? Por isso queremos sentar com ele e conversar", comentou Ednaldo Lemos, presidente do Sindimed.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime