19.08.2011 | 18h00


CIDADES

Samu demora a chegar e acidentados ficam no asfalto quente

MAYARA MICHELS   11h01
DA REDAÇÃO

Um casal passou por apuros na manhã desta sexta-feira (19), na Capital, após sofrer uma acidente envolvendo uma moto e um veículo. O casal estava na moto. O motoqueiro e a mulher ficaram mais de 15 minutos estirados no asfalto, embaixo de sol escaldante, esperando Samu.

Devido o congestionamento provocado por um protesto dos grevistas da Escola Técnica em frente à Agecopa, dois paramédicos chegaram em motos para o primeiro atendimento. Após 25 minutos do acidente, a ambulância ainda não havia chegado ao local.

O acidente ocorreu segundo populares, devido ao motorista de um Gol vermelho fazer a conversão para entrar na Rua Tenente Alcides Duarte de Souza. A moto vinha na preferencial, na Avenida Lava Pés.

O casal acidentado, Lúdio Santana, de 43 anos e Antina Pedrosa Maciel, de 44 anos, reclamava de dores e do forte calor que estava o asfalto. Populares prestaram socorro às vitimas emprestando guarda sol e papelões para amenizar o calor. 

Segundo o motoqueiro, ele sentia dores na perna. "Acho que quebrei o tornozelo, está doendo muito" disse Lúdio. Já a mulher sentia fortes dores na coluna e no joelho.  Assim que chegaram os paramédicos, as vítimas foram tiradas do meio da rua e colocadas em uma sombra embaixo de uma arvore.

Segundo o motorista do veículo, o senhor Odair Jose de Sousa, o congestionamento na rua e o tumulto de manifestantes fez com que a colisão ocorresse. "Foi muito rápido e eu estava na mão certa, só senti a pancada e vi que colidi com uma moto", contou o condutor.Policiais militares tentaram organizar o trânsito que ficou tumultuado por quase 1 hora.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO