alexametrics
10.05.2011 | 15h17


CIDADES

Queda no preço do etanol já passa de 12% em Cuiabá

GAZETA DIGITAL  14h10

A onda de queda no preço do etanol hidratado nos postos de combustíveis já chegou a Cuiabá e Várzea Grande. Conforme anunciado pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o litro do produto começa a baixar esta semana e os motoristas da região já pagam menos na hora de abastecer. Os preços caíram duas vezes nos últimos 4 dias e o álcool está sendo vendido por até R$ 1,97, queda de 12,8% ante os R$ 2,26 praticados anteriormente. A perspectiva é que a gasolina também fique mais barata.

Para se ter uma ideia de quanto estes 29 centavos são significativos, um motorista que abastecia 40 litros com o preço antigo desembolsava R$ 90,14. Com o valor atual é possível comprar a mesma quantidade de combustível e gastar R$ 78,80. A diferença (R$ 11,34) é equivalente a mais 5,7 litros do produto. Por causa da alta, o etanol deixou de ser competitivo em Mato Grosso e os consumidores migraram para a gasolina, motivando elevação nos preços também no derivado no petróleo, que atualmente está em R$ 2,98.

Agora, com a redução e novas perspectivas de baixa, o derivado da cana-de-açúcar volta a ser vantajoso em relação à gasolina e corresponde atualmente a 66% do combustível fóssil. Fábio Marques é proprietário de 2 postos, um bandeira branca e o outro bandeirado. No posto "sem bandeira", o Santos Dumont localizado em Várzea Grande, a queda no preço do etanol alcança 8 centavos. Já no posto bandeirado, a queda está prevista para o início da próxima semana. "Como revendedo, tenho o compromisso com o consumidor. Vou repassar qualquer redução".

Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo), Aldo Locatelli, pontua que o etanol já começou a ser entregue pelas usinas às distribuidoras em grande escala. "Essa queda sempre foi previsível. Bastava acontecer a redução de preços nas usinas e nas distribuidoras para que os custos de aquisição do combustível caíssem nas bombas".

Com a queda no etanol, a tendência é que os preços da gasolina também caiam já que ela contém até 25% de anidro na composição. Outro motivo para o barateamento no preço do derivado do petróleo é a redução no percentual de anidro à gasolina, que baixou de 25% para até 18%. A redução foi autorizada pelo governo federal para equilibrar a oferta do produto no mercado. Enquanto os preços não caem, efetivamente, os motoristas começam a refazer as contas e optar pelo combustível mais vantajoso economicamente.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime