25.09.2019 | 08h50


ALÍVIO DO CÉU

Próximos dias devem ser marcados por chuva ácida e queda na temperatura máxima em Cuiabá

A temperatura começou a cair após os cuiabanos sofrerem com o 'calorão' acima dos 40 graus.


DA REDAÇÃO

Na primeira semana da primavera, a Capital pode receber chuva o que traz um alívio para os cuiabanos, após um longo período de seca, queimadas, e incêndios florestais.  Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cepetc), a previsão é que chova na cidade, nesta quarta-feira (25) e nos dias seguintes, até o domingo (29).

Os dados do Cepect apontam pelos menos 80% de chance de cair água na região metropolitana, com temperatura mínima de 26 graus e a máxima de 34 graus.

Para quinta-feira é esperada a mínima de 25 graus e 32 graus. Na sexta-feira, mínima de 22 graus e máxima de 32 graus.

As temperaturas começam a cair, após a cidade registrar no último mês ambiente acima de 40 graus.

Veja:

RepórterMT/Reprodução

Previsão do Cepect.

 

Chuva ácida

Devido ao longo período de seca, as primeiras chuvas serão ácidas. As precipitações tem o ph abaixo do nível tolerável de 5,5, sendo prejudicial à saúde.

A chuva ácida é composta por ácidos concentrados, como o óxido de enxofre, de carbono, de nitrogênio e o dióxido de enxofre. Esses óxidos são emitidos pelas atividades industriais, queima de combustíveis por transportes, fábricas e usinas termoelétricas que emitem grande quantidade de gases poluente na atmosfera.

Esses gases vão em direção das nuvens e se acumulam, em contato com a água geram ácido.

Os especialistas recomendam que a população não beba água da chuva e nem tome banho, pois, podem causar problemas respiratórios, doenças, como Alzheimer, Parkinson e Hipertensão.

 

Até que as nuvens descarreguem esses poluentes, é bom que os cuiabanos evitem entrar em contato com a água da chuva.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO