09.08.2011 | 17h53


CIDADES

Protesto na Prainha compara BRT com charrete de burro

INARA FONSECA        8h40
FERNANDA LEITE    
DA REDAÇÃO

Cerca de 1500 pessoas realizaram um protesto na manhã de hoje (09), na Avenida da Prainha, contra a suposta implantação do Bus Rapid Transit (BRT). Capitaneados por comerciantes da região, os manifestantes levaram para a avenida uma charrete simbolizando o BRT. Estudantes e empresários gritavam: "Silval escolha o VLT, o povo pede isso".

O diretor da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), João Bosco Linhares Nunes, defendeu a implantação do VLT devido à redução de desapropriações na Prainha. "A CDL está nesta campanha pela cidade. O VLT é mais moderno, além de não ser uma solução apenas para Copa e sim para o desenvolvimento de Cuiabá", defendeu João.

O empresário Edmilson Souza Alves, que terá sua loja desapropriada caso o modal BRT seja escolhido, criticou a falta de compromisso do Governo do Estado  com a Capital. "Querem implantar ônibus, isso é um absurdo! Temos a oportunidade de ter trem como transporte não podemos deixar que ela passe. Não iremos ficar assistindo", disse indignado.

Com o manifesto, a pista da Prainha, com sentido CPA, ficou interditada nas primeiras horas desta manhã e o trânsito na Avenida Isaac Póvoas congestionado. O protesto foi "puxado" pela a Associação dos Empresários e Locatários da Prainha (AELP).

Em apoio ao ato, as lojas no centro de Cuiabá só abrirão a partir das 10h. De acordo com a representante da Associação, Marilene Perissari Guimarães, o intuito as mobilização é mostrar a sociedade cuiabana os benefícios da escolha do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Marilene aponta que o VLT é mais moderno, cômodo, ágil e diminuirá o número de desapropriações dos lojistas.

Os lojistas reclamam da falta de diálogo com o Governo do Estado, que não apresentou um projeto com relação às desapropriações até o momento. Além disso, eles também temem que o número excessivo de desapropriações torne o centro da Capital em um "monstruoso camelódromo".


 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO