31.05.2011 | 12h39


CIDADES

Projeto para implantação de radares está parado há 2 anos

INARA FONSECA  10h45
DA REDAÇÃO

O polêmico projeto que prevê o retorno dos radares eletrônicos em Cuiabá continua paralisado. Em 2010, o prefeito Chico Galindo (PTB) divulgou que o edital para licitação sairia no máximo no início de 2011. Após dois anos, a proposição ainda não saiu do papel. Desde fevereiro deste ano, a proposta encontra-se em análise na Procuradoria Geral do Município (PGM). Segundo Fernando Biral, procurador-geral do município, a expectativa é que até o final de junho ocorra a divulgação do processo licitatório. "Estamos trabalhando juntamente com a Prefeitura para agilizar o processo", informou.

Quando sugerida, a proposta gerou controversa devido ao trauma deixado pelos radares eletrônicos instalados em 1998. Segundo Jackson Messias, diretor da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), o novo sistema será totalmente confiável, pois diferente do que acontecia, o pagamento da empresa não estará relacionado com as multas aplicadas.

Em 1998, as empresas recebiam de acordo com o número e o valor das multas aplicadas. Além disso, não havia verificação dos equipamentos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), nem sinalização informando a velocidade dos veículos. Com isso, a população questionou se as multas aplicadas eram realmente verídicas. O escândalo ficou conhecido como "Máfia das Indústrias da Multa".

O procurador-geral do município adiantou que a Prefeitura em conjunto com a PGM estudam qual o melhor caminho para evitar fraudes, se comprar os aparelhos para medição eletrônica ou realizar contrato de locação, ou seja, sem receita vinculada.

Trânsito em Cuiabá

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá, no ano passado mais de 200 pessoas morreram vítimas de acidentes na Baixada Cuiabana. Os radares eletrônicos são uma exigência do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) com o objetivo de coibir o excesso de velocidade e prevenir acidentes.

As avenidas Miguel Sutil e Fernando Corrêa da Costa, competências do Estado, já possuem radares aprovados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT). De acordo com a SMTU, o projeto propõe, inicialmente, pelo menos 40 equipamentos distribuídos nas principais vias da cidade, sob poder do Município. A Avenida das Torres, com 13 quilômetros de extensão, deverá receber o maior quantitativo, com sete unidades.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO