12.09.2011 | 16h49


CIDADES

Professores da UFMT retornam ao trabalho mas técnicos mantém greve

FERNANDA LEITE
DA REDAÇÃO

Após greve que durou 18 dias, professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), retornaram as atividades nesta segunda-feira (12), em Cuiabá. Os docentes que "brigavam" por um aumento de 14% só obtiveram um reajuste de 4% a partir de março do ano que vem. A proposta é do Governo Federal, que ofereceu ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) que concordou com o aumento.

Além do reajuste salarial, os professores pediram melhores condições de trabalho e Planos de Cargos, Carreiras e Salários - PCCS's. A greve foi deflagrada no dia 24 de agosto. Mais de 40 mil alunos ficaram sem aulas em MT.

Já os técnicos administrativos, que deflagraram greve no dia 6 de julho não conseguiram aumento. A categoria ainda não tem previsão de quando acabará o impasse. Com a greve, o Restaurante Universitário (RU), a Biblioteca Central e outros serviços básicos da Universidade estão paralisados. Entre as principais reivindicações da categoria estão reajuste salarial para piso de três salários mínimos, mudança na política de incentivo à qualificação e reposicionamento de funcionários aposentados.

A paralisação dos técnicos administrativos da UFMT, já dura mais de dois meses.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO