13.06.2011 | 19h26


CIDADES

Procurador pede que prefeito seja julgado por abuso sexual

MAYARA MICHELS 17h36
DA REDAÇÃO

O coordenador do Núcleo de Ações de Competências Originárias (NACO), o procurador Hélio Fredolino Faust, ingressou uma ação penal contra o Prefeito de Dom Aquino, Eduardo Zeferino (PR) acusado de abusar sexualmente de, pelo menos, cinco meninas com idade entre 5 e 11 anos. Após quase um ano do início das investigações policiais, cabe ao Tribunal de Justiça acatar o promotor e julgar criminalmente o prefeito ou arquivar o processo.

Em 15 dias, o prefeito deverá ser notificado para oferecer resposta à acusação, no Tribunal de Justiça. Ele será ouvido antes da decisão da justiça. Zeferino continua trabalhando normalmente na cidade, dando expediente na Prefeitura de Dom Aquino. Segundo as investigações, ele nega todas as acusações.

No ano passado, a Câmara Municipal de Dom Aquino criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar denúncias de pedofilia contra o prefeito da cidade, porém nenhuma atitude foi tomada. Segundo o presidente da Câmara, Osvaldir Martins (Dem), a Câmara só irá tomar providencias, se o prefeito for condenado pelo Tribunal de Justiça. "Por enquanto as pessoas, os policiais e os promotores falam o que ele fez, mas só vamos casalo se o TJ determina, não importa que vá demorar", revelou o presidente.

Para o vereador Sergio Ramos, cinco pessoas são a favor da cassação do prefeito, porém a necessidade de mais um voto, já que a cassação só é aprovada com 2/3 dos vereadores, e a Câmara conta com 9. "Estamos juntando todas as provas contra o prefeito, todas as denuncias para apresentar aos vereadores que não acreditam ainda no crime cometido por ele", revelou.

O RepórterMT tentou, por várias vezes, entrar em contato com Eduardo Zeferino, porém ele não foi localizado. Na prefeitura ninguém atendeu os telefones na tarde destasegunda-feira.

Entenda o caso

A Polícia Civil investigou e denunciou ao Ministério Publico Estadual, o prefeito por estupro de vulnerável. As próprias crianças, em depoimentos, confirmaram os abusos praticados pelo prefeito.

O crime foi descoberto em função do comportamento "estranho" das meninas. Elas foram encaminhadas para um psicólogo, a quem confessaram que o prefeito praticou abuso sexual, em visitas à residência dele.

Além das cinco vítimas já identificadas pela Polícia Civil, outras 11 crianças também podem ter sido molestadas pelo prefeito. De acordo com a Polícia, as outras vítimas são crianças de 7 a 11 anos, que participaram de um projeto social criado pelo prefeito, denominado "Batutinha".

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO