12.09.2011 | 19h31


CIDADES

Polícia já registra 261 homicídios e 160 estupros na Capital

MAYARA MICHELS     18h00
DA REDAÇÃO

A Delegacia de Homicídios e Proteção á Pessoa (DHPP) já registrou 261 assassinatos este ano na Grande Cuiabá. Desses, 16 foram latrocínio, roubo seguido de morte. Cerca de 150 assassinatos foram registrados só na cidade de Cuiabá.

Segunda a DHPP, as estatísticas apontaram que a maioria das vítimas é composta por homens, com idade ente 19 a 25 anos. A maior parte das mortes ocorre por uso de arma de fogo.

Segundo a Polícia Militar, 90% dos homicídios registrados neste ano, foram por envolvimento com o crime, ou seja, bandido matando bandido, numa guerra de gangues. "Os bandidos estão brigando por território, por não conseguir pagar a conta do tráfico e morrem em acerto de contas. A grande maioria dos assassinados têm várias passagens pela polícia", revelou o tenente Varela.

O último ocorreu na tarde de domingo (11), quando uma menina de 8 anos foi encontrada morta. A criança estava desaparecida de casa há quatro dias e acabou sendo encontrada morta e com suspeitas de abuso, em um matagal no bairro Distrito Industrial, em Cuiabá. O final trágico para a família, só encerrou a vida sofrida da criança que aos 3 anos de idade, foi vítima pela primeira vez de violência sexual.

O corpo da menina foi encontrado sem roupa no matagal. A DHPP investiga o caso, e estuda a possibilidade do autor do homicídio ser o mesmo que abusou da menina quando tinha 3 anos. 

Estupro

As estatísticas da Polícia Civil apontam que de nos 7 primeiros meses do ano foram registrados em Cuiabá, 55 casos de estupros contra crianças de até 12 anos. Já o crime cujas vítimas são adolescentes com idade acima de 12 anos, a polícia já investiga 114 casos na capital.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO