22.06.2011 | 20h06


CIDADES

Omissão de socorro pode ter agravado quadro de Keiza

LARISSA MALHEIROS    17h45
DA REDAÇÃO

A jovem Keiza de Souza, 12 anos, morta no Shopping Pantanal na manhã desta terça-feira (21), após ter caído do telhado de uma altura de 8 metros, pode ter morrido por omissão de socorro, denunciam familiares. As informações são contraditórias. O RepórterMT constatou que foi atestado o óbito da jovem às 11h30 pelo IML. Segundo informações da própria empresa, tanto o Serviço Móvel de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e a Help Vida, chegaram ao local às 11h40.

A assessoria do shopping atesta que a queda aconteceu às 11h14, quando houve o primeiro atendimento dos brigadistas. A empresa também alega que, quando Samu e Help Vida chegaram, a garota estava viva, o que não bate com o laudo do IML, que diz que a morte ocorreu às 11h30.

Questionados sobre a retirada de Keiza do local, já que, pelas orientações não se deve remover uma pessoa que possa ter suspeitas de fraturas, a assessoria do shopping informou que a equipe de socorro da empresa é treinada para isso. "Ela foi removida do local do acidente com vida e encaminhada pela brigada para a Sala de Emergência para receber o atendimento médico do Samu e do Help Vida, em local apropriado", disseram em nota à redação.

Além dos horários que não batem e da remoção de Keiza, outro fato que gera suspeita: uma limpeza foi feita no local antes da chegada da pericia, o que também contradiz qualquer regra de pós-acidente. O shopping se defende dizendo que, para facilitar o trabalho de atendimento e o acesso das equipes, foram retirados entulhos que estavam no entorno do local.

Outro fato que não foi explicado é como os jovens acidentados foram levados para a sala de emergência sem serem vistos pelos frequentadores do local. Quatro jovens caíram do telhado, todos fraturaram ossos, ou seja, não poderiam ser removidos sem macas. Outro questionamento: quantas macas há no local para atendimento?

O corpo da jovem ficou mais de 3 horas na sala de emergência aguardando o transporte para o Instituto Médico Legal.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO