10.06.2011 | 17h03


CIDADES

Número de mortes nas BRs de MT cresce 28% em 2011

MAYARA MICHELS 15h42
DA REDAÇÃO

De janeiro a 1º junho deste ano 118 pessoas morreram e quase mil ficaram feridas nas rodovias federais de Mato Grosso. Foram registrados 1.609 acidentes. A maioria das vítimas fatais é de homens jovens entre 20 e 30 anos de idade. Cinco BRs cortam o estado.

Comparado com o mesmo período do ano passado, a polícia registrou 28% de aumento no número de mortos. Em 2010 foram 92 vítimas fatais em 1.553 acidentes.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, pela grande produção agrícola de Mato Grosso, a maior parte dos veículos que trafegam nas rodovias são de carga, sendo estes os maiores causadores de acidentes, porém, na maior parte dos casos, seus motoristas sofrem apenas ferimentos leves. Os pequenos é que se transformam nas vítimas fatais e graves.

A última morte em BR ocorreu na noite desta quarta-feira (8), na região de Cáceres. Um ciclista foi atropelado por um Pálio e morreu na hora. O condutor Jardel Jaivones de Neira (21) ia de Cáceres para São José dos Quatro Marcos, quando colidiu com a bicicleta. O corpo do ciclista, que não foi identificado, foi levado para o IML de Cáceres. A passageira do Palio, Adriana Lima Rosa, de 18 anos, sofreu ferimentos leves e foi encaminhada ao Hospital Regional. Somente ontem (8), 16 acidentes com cinco feridos foram registrados nas BRs que cortam MT.

Imprudência

A Polícia orienta aos motoristas que, durante a viagem, procurem conduzir o veículo com cautela, paciência e de maneira defensiva, mantendo uma distância considerada segura do veiculo que vai à frente. O desrespeito às leis, o consumo de bebidas, rebites (anfetaminas) e, principalmente o abuso da velocidade são considerados as maiores causas de acidentes.

Os feriados prolongados são os períodos mais propícios aos acidentes e, portanto, todo cuidado é pouco. Segundo estatísticas do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), 90% dos acidentes e das mortes no trânsito são causados por imprudência dos condutores e dos pedestres.

Guerra

Cerca de 35 mil pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito no país e outras 300 mil ficam com sequelas permanentes. Só para efeito de comparação, na guerra do Vietnã, que durou sete anos, o exército americano teve 50 mil baixas. Se os números continuarem na casa em que estão, em sete anos, serão 245 mil mortes. Em Cuiabá, a média anual de mortes no trânsito chega a 200.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO