alexametrics
14.06.2011 | 17h14


CIDADES

MP apura novas denúncias contra prefeito acusado de abuso sexual

MAYARA MICHELS 14h47
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual do município de Dom Aquino, recebeu nos últimos 15 dias, duas denúncias acusando o atual prefeito, Eduardo Zeferino (PR) de improbidade administrativa. Segundo a Promotoria de Justiça de Dom Aquino, o primeiro caso o prefeito foi denunciado por vender seis lotes particulares, para a prefeitura. Já o segundo, de permitir a construção de barracas de alvenaria em volta da praça central da cidade.

Na primeira denúncia, feita por um grupo de vereadores do município, o prefeito está sendo acusado de comprar seis lotes no Bairro Ferreira Mendes, por R$ 20 mil. Depois de alguns meses, fazer uma procuração passando para o nome do amigo A.M.O., e comprar pela prefeitura os lotes por R$ 40,600 mil. "Ele diz que irá construir o clube dos servidores, entretanto não há nenhum projeto, nem previsão, nem recursos para construir", revelou o vereador Sérgio Ramos.

Documentos e contatos foram protocolados junto à denúncia para que a procuradoria investigue os fatos. Segundo a procuradora que investiga o caso, Gileade Maia, a denúncia está sendo averiguada para ver se procede. "Temos o contato de várias pessoas que deverão ser ouvidas para ajudar esclarecer os fatos. Depois o prefeito tem um prazo para se defender", afirmou à promotora.

O segundo caso, a denúncia foi feita por moradores da cidade. O prefeito está sendo acusado de liberar a construção de aproximadamente oito barracas de alvenaria ao redor da praça principal da cidade, sem o consentimento da Câmara de Vereadores, sem licitação e sem espaço para que outros moradores concorressem ao espaço.

A Promotoria tem um prazo de 30 dias para investigar cada caso. Depois, o prefeito será intimado, e tem um prazo de dez dias para se defender das acusações. Dependendo da sua defesa o caso pode ser encerrado e arquivado, ou caso restem dúvidas, o caso é encaminhado para o Núcleo de Ações de Competências Originárias (NACO) junto com um pedido de afastamento ou de perca de cargo político.

Outro lado

O RepórterMT entrou em contato com o prefeito do município, que disse estar sofrendo perseguição política. Zeferino alegou que nas acusações sobre a venda do terreno para a prefeitura, a informação não procede e as pessoas que o denunciaram terão que provar. "Não tenho nada a declarar no momento, eles (vereadores) terão que provar, e se for preciso só vou falar com decisão judicial", afirmou o prefeito.

Sobre a construção na praça da cidade, o prefeito explicou que havia barracas de latão, amassados, enferrujados há mais de 26 anos no local. "Muitos anos e ninguém fez nada, porque eu autorizei organizar essa situação, ocorreu tudo isso. Mas vou aguardar, sei que isso é tudo perseguição política pra cima de mim", disse.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime