22.06.2011 | 13h47


CIDADES

Milhomen diz que sofreu "armação" e acusa prefeito de chefiar quadrilha

FERNANDA LEITE     12h35
DA REDAÇÃO

O ex-prefeito de Alto Boa Vista (1.059 km, Nordeste de MT), Aldecides Milhomem (DEM), cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) por compra de votos, desmentiu que  havia fugido para o estado de Goiás com o veículo oficial da cidade, uma Toyota SW-4, e com o R$ 735,8 mil que  estariam no cofre da prefeitura. Milhomem acusa o prefeito em exercício, Wanderley Perin (PR) de "montar" uma farsa para assumir a prefeitura e aplicar um "golpe".

De acordo, com Milhomem, ao contrário do que foi divulgado, o ex-prefeito foi para Brasília de avião. "O carro estava na casa da minha mulher, eu não fugi. Eu sai da cidade, porém fui para Brasília após saber da decisão do TRE, fui procura meus direitos no Supremo Tribunal Eleitoral", esclareceu o prefeito cassado.

Milhomem denunciou que vem sofrendo perseguição por uma quadrilha formada pelo prefeito em exercício Wanderley Perin (PR), segundo colocado nas eleições passadas, ex-políticos entre eles o ex-prefeito da cidade Mário Cezar Barbosa, o ex-presidente da Câmara do Município Antônio Camelo Anderson e ainda o contador Max Joaquim Hellebrandt, além do proprietário de um cartório na cidade vizinha, São Feliz do Araguaia, Anderson de Oliveira Alarcon.

"Perin é a pessoa que está querendo tirar a minha cadeira de prefeito, inclusive contratou onze pistoleiros para ficar de vigia contra as pessoas que ele considera "rivais", denunciou Aldecides. Segundo ele, Perin chefiaria uma quadrilha envolvida com roubo de carros, gado e trafico de drogas.

Questionado sobre os R$ 13,25 encontrados no cofre da prefeitura, Milhomem disse que não sabia do valor. "Eles invadiram a prefeitura no dia 12 deste mês, porém só 10 dias depois a polícia encontrou o valor citado. Isso foi armação. A partir de hoje vou começar a registrar os boletins de ocorrência e vou me precaver, tudo é uma farsa", finaliza.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO