30.04.2011 | 14h51


CIDADES

Maria Erotides promete investigar escândalos no TJ-MT

FERNANDA LEITE  13h05
DA REDAÇÃO

Nascida em Juiz de Fora (MG) em 1952, casada, mãe de oito filhos e formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Maria Erotides Kneip chegou a Mato Grosso no ano de 1973, ingressando na magistratura em 1985, na comarca de Alto Garças (357 km ao sul de Cuiabá).

Atingii o ápice da carreira da Magistratura Estadual aos 59 anos, tomando posse posse ontem (29) como desembargadora do Tribunal de Justiça (TJ-MT). Em bate-papo  descontraído na manhã deste sábado (30), Erotides falou ao RepórterMT sobre o início de sua carreira e como pretende exercer a nova função.

 

RepórterMT-A quanto tempo a senhora atua na magistratura?

Maria Erotides- Quando cheguei a Mato Grosso em 1985 acompanhada pela minha família. Tive como minha primeira comarca a cidade de Alto Garças, no interior do estado.

RepórterMT- A senhora é vista como um exemplo de moralidade pela população e por outros magistrados. A quem se deve esta virtude?

Maria Erotides- Luto por isso. Meus pais foram meu espelho. De descendente de alemão, meu pai foi um homem muito rígido, já minha mãe educadora. Agradeço a eles por terem me colocado no caminho do bem, sendo que a moralidade é um importante valor na vida do ser humano. Hoje eu transmito tal virtude para meus filhos e netos.

RepórterMT- A senhora foi promovida como desembarcadora após três tentativas, sendo duas por merecimento e a terceira que a promoveu por tempo de carreira. Acha que a promoção deveria ter sido antes?

Maria Erotides- Tentei entrar por merecimento, porém existiam colegas mais competentes e com mais produção de trabalho.

RepórterMT- A senhora disse que é a magistrada com maior tempo de serviço do Estado, até mesmo do que o Juiz Fernando Miranda Rocha. Então por que o nome dele foi cotado antes?

Maria Erotides- Apesar do Miranda ter ingressado na magistratura um ano depois de mim, ele conseguiu entrar na Instância Especial, antes do que eu.

RepórterMT- O TJ/MT é a mais alta corte da justiça no Estado. Como à senhora avalia os escândalos que vem ocorrendo envolvendo magistrados que respondem processos por improbidade administrativa?

Maria Erotides- Eu estou chegando agora, seria leviano falar sobre o assunto, sei que existe nomes de desembargadores que são envolvidos em escândalos, por enquanto só sei o que é veiculado na mídia. Porém me comprometo com a sociedade em manter a honra e investigar os casos.

RepórterMT- Futuramente a senhora pensa em ingressar na carreira política?

Maria Erotides- Já recebi diversos convites. Quem sabe um dia, já que eu vim para servir. Eu acredito que existirá um mundo melhor e se o exercício político acarreta nisso, por que não? (Risos)

RepórterMT- Quais serão suas principais medidas ao chegar no Tribunal?

Maria Erotides- Estou indo pra lá com tranquilidade e de coração aberto. Irei aprender e dividir. Comprometerei com o a justiça.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO