18.11.2019 | 21h34


ATROPELOU BEBÊ

Justiça concede liberdade à professora, mas exige fiança de R$ 30 mil

O atropelamento aconteceu no sábado (16), entre a Avenida Perimetral Norte com a Rua das Violetas, em Sinop.


DA REDAÇÃO

A Justiça concedeu liberdade, sob pagamento de fiança, à pedagoga Viviane Regina Pereira Klockner, de 37 anos, presa por atropelar uma mulher e sobrinho dela, de apenas 1 ano, no sábado (16), em Sinop (501 km da Capital).

O valor da fiança foi estipulado em 30 salários mínimos, aproximadamente R$ 30 mil. No entanto, até o fim da tarde desta segunda-feira (18) o montante ainda não havia sido pago.

O termo de audiência de custódia pela qual a professora passou, foi lavrado ainda no fim de semana e é assinado pelo juiz plantonista do polo III, Jacob Sauer.

A decisão ocorreu após o Ministério Público Estadual (MPE) postular pela homologação da prisão em flagrante, mas pela concessão à liberdade provisória com medidas cautelares.

“Demonstrando pagamento de fiança, expeça-se imediatamente alvará de soltura, cumprindo somente se por outra razão não estiver presa”, diz trecho do documento ao qual o teve acesso.

Ainda, conforme a decisão judicial, a professora terá a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa, até que tenha plenas condições de dirigir.

Relembre o caso

O acidente ocorreu no sábado (16), entre a Avenida Perimetral Norte com a Rua das Violetas. Na ocasião, a criança estava em um carrinho que era empurrado pela tia, quando as duas foram atropeladas pela motorista que dirigia um Ford EcoSport.

A polícia suspeita que Viviane tenha bebido antes de dirigir. Uma lata de cerveja foi encontrada no veículo.

O Corpo de Bombeiros efetuou resgate da mulher e do sobrinho e os encaminhou para Unidade de Pronto Atendimento (UPA). 

A criança sofreu ferimentos, mas recebeu alta ainda no final de semana.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO