07.09.2011 | 13h52


CIDADES

Galindo tem processos no MP por má gestão no saneamento em SP

DA REDAÇÃO   15h55

O prefeito de Cuiabá, Chico Galindo (PTB) fissurado em privatizar a Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap) já promoveu lambanças em companhia semelhante, em sua cidade natal, no interior de São Paulo, Presidente Prudente.
O Ministério Público (MPE-SP) moveu 12 ações contra Galindo, que foi gestor da empresa pública de economia mista Prudenco. Uma espécie de Sanecap prudentina.

As ações questionam contratações irregulares feitas pela gestão de Galindo. O valor questionado pelo MP chega a R$ 18 milhões.

As ações judiciais foram propostas entre 2000 e 2007. Em uma das ações, Chico Galindo e diretores da referida empresa foram condenados pelo juiz Leonino Carlos da Costa Filho, da 2ª Vara Cível de Presidente Prudente.

O magistrado entendeu que houve dano à coletividade na contratação de funcionários com dispensa de seleção. A manobra de Galindo foi mal fundamentada e mal justificada, no entender do juiz. O gestor Galindo disse que eram contratações emergenciais.

Em sua decisão o juiz disse: "As referidas contratações não estavam respaldadas no art. 37. IX, da Constituição da República ou na legislação municipal, porquanto não visaram a dar atendimento à necessidade temporária de excepcional interesse público".

Curiosamente, o prefeito de Cuiabá, que não conseguiu gerir a Prudenco, agora insiste em vender a Sanecap, alegando justamente, incapacidade administrativa da prefeitura. Em sua primeira tentativa de vender a estatal, foi impedido por ações na Justiça e por pressão popular.

Agora, Galindo conseguiu, novamente, emplacar projeto de venda da empresa, aprovado pela Câmara, na sessão do dia 1 deste mês. A atitude gerou revolta de manifestantes contrários, que foram afastados da Câmara pela PM com gás lacrimogênio, tiros com balas de borracha e spray de pimenta.

Jornalistas de Presidente Prudente, e ex-funcionários da estatal prudentina, ouvidos pelo RepórterMT, avaliam como desastrosa a passagem de Galindo pela Prudenco. Não é de se estranhar o caos que se instalou em Cuiabá, nos últimos 18 mêses. O legado, até aqui, da era Chico Galindo. 

Procurado pela reportagem, o prefeito Galindo não atendeu às ligações e, até o fechamento da matéria, não havia retornado os chamados.

Leia mais:

Câmara aprova "venda da água" e sessão vira palco de baixaria 

Veja a lista dos vereadores que "venderam" a Sanecap

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO