alexametrics
28.07.2011 | 09h37


CIDADES

Funcionários fazem "vaquinha" para comprar merenda em creche

INARA FONSECA  8h00
DA REDAÇÃO

Mais uma vez as 12 creches públicas de Várzea Grande são assoladas pela ausência de itens essenciais na merenda escolar. Nas últimas semanas, a falta de abastecimento levou funcionários da Creche Aurélia Correia de Almeida, no bairro Maringá, a realizarem "vaquinha" para comprar açúcar, óleo e carne. Além disso, as creches não têm recebido carne devido à má qualidade do alimento enviado pelo fornecedor.

De acordo com a presidente da subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Maria Aparecida Cortez, grande parte da carne entregue contém somente pelanca e sebo. Em alguns casos, insetos mortos já foram encontrados junto ao gênero alimentício.

Cida Cortez ainda atentou para o fato de que a Secretaria de Educação de Várzea Grande não tomou nenhuma providência sobre o caso. "Ao invés de fazerem algo de concreto, a secretaria apenas recomendou as creches que não recebam o produto", contestou.

De acordo com a diretora da Creche Aurelia Correia de Almeida, o abastecimento de alimentos foi regularizado nesta semana. Entretanto, a carne foi substituída por frango devido aos problemas no fornecimento.

No ano passado, devido à falta de alimentos, as creches municipais paralisaram as atividades.

O RepórterMT entrou em contado com a Secretaria de Educação de Várzea Grande, mas até o fechamento da edição desta matéria ninguém se pronunciou sobre o assunto.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime