09.05.2011 | 11h50


CIDADES

Envolvido em escândalo da Gol é promovido a alto cargo da Aeronáutica

DA ASSESSORIA 10h46

O Brigadeiro Jorge Kersul Filho foi promovido ao cargo de Comandante do 6.º Comando Aéreo Regional (Brasília/DF), uma das mais altas funções da Aeronáutica. A promoção aconteceu em março deste ano. O oficial se envolveu no caso do Voo 1907, acidente que aconteceu em 2006 quando o jato Legacy, pilotado pelos norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, colidiu com o Boeing da Gol, fazendo 154 vítimas.

Durante o processo criminal contra os pilotos norte-americanos, Kersul, que era chefe do CENIPA (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), entregou os equipamentos do jato Legacy, que foram solicitados pela justiça brasileira para análise, à dona do avião, empresa norte-americana ExcelAire. O juiz federal Murilo Mendes, magistrado responsável pelo processo criminal contra os pilotos, solicitou ao Brigadeiro, por meio de um ofício e contato telefônico, que ele guardasse os equipamentos para a justiça brasileira. Mesmo ciente do interesse da Justiça Federal, o Brigadeiro devolveu os equipamentos à empresa norte-americana. A conduta de Kersul pode configurar crime de fraude processual, previsto no artigo 347 do Código Penal.

Como a fraude supostamente praticada pelo Brigadeiro teve efeitos em um processo criminal, a pena é aplicada em dobro e pode variar de 6 meses a 4 anos. O assunto está sendo conduzido pelo Ministério Público Federal (MPF), que poderá processar o Brigadeiro Kersul pelo crime.

Rosane Gutjahr, diretora da Associação de Familiares e Amigos das Vítimas do Voo 1907 e que perdeu o marido no acidente, diz que espera que o MPF tome uma providência. "Os familiares têm esperança de que a atitude do oficial não fique impune e que ele seja condenado pelo crime que cometeu. Além disso ele não poderia ter sido promovido", declara.

O oficial da Aeronáutica foi testemunha do processo criminal em janeiro deste ano, onde relatou "falta de memória" em vários momentos da oitiva e pouca cooperação à acusação.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO