alexametrics
13.09.2011 | 16h31


CIDADES

ENEM: especialista de MT diz que método é injusto com a rede pública

INARA FONSECA      11h50
DA REDAÇÃO

Após o desastroso resultado das escolas públicas de Mato Grosso no ranking do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e doutora em educação, Ozerina Victor, criticou duramente a metodologia do ENEM e afirmou que é uma injustiça comparar as escolas particulares com as públicas.

"Este método acaba criando um rankeamento entre as instituições e a comparação é injusta. As escolas do Estado que se saíram bem no ranking do Enem são aquelas que fazem seleção para aceitar seus alunos, essas escolas trabalham com aqueles que têm maior capital cultural. No caso das particulares, o público tem um capital cultural e econômico. As escolas públicas não têm investimentos e o trabalho docente não é bem remunerado, não tem como comparar", explicou Ozerina.

Com a democratização do ensino nas décadas de 50 e 60, e a ampliação no acesso a educação sem investimentos proporcionas na estrutura das escolas, a especialista apontou que o descaso governamental com a educação é historicamente um dos grandes vilões da área. Além disso, Ozerina afirmou que a crença popular de que o ensino é uma vocação prejudica a qualificação dos profissionais da educação.

"Existe essa representação de que o magistério é um sacerdócio. Esta ideia dificulta porque sacerdote não precisa receber pra fazer seu trabalho. Temos que descontruir essa visão, não basta ter boa vontade, é preciso ter qualificação e políticas públicas de melhorias salariais. O piso salarial e o plano nacional de educação estão demorando meses para serem aprovados", disse a professora.

Enem

A nota das escolas na avaliação do Enem foi publicada na última segunda-feira (12), pelo Ministério de Educação (MEC). Mato Grosso apareceu na lista apenas no 440º lugar, ocupado pelo Colégio Maxxi, instituição privada, com 658,89 pontos. O primeiro lugar nacional, Colégio São Bento (RJ), conquistou 718, 62 pontos.

No ranking das 10 melhores notas do Estado, não havia nenhuma escola da rede estadual ou pública. Apenas o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) aparece na lista com o 3º lugar. Todas as demais são particulares. Já no das 10 piores notas do Estado, todas as unidades escolares são públicas.

Há anos Mato Grosso surge nacionalmente na lista dos estados com pior desempenho no Enem.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime