29.04.2011 | 18h37


CIDADES

Drogarias de Cuiabá vendem antibióticos sem receita

INARA FONSECA 15h44
DA REDAÇÃO

Após denúncia de irregularidades na venda de antibióticos, recebida nesta sexta (29), o RepórterMT apurou que as drogarias América, Panda e Chic não cumprem resolução estabelecida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vendem medicamentos à base de antimicrobianos sem receita.

Durante o período da manhã a reportagem tentou adquirir o medicamento Amoxicilina sem prescrição. As drogarias América e Chic confirmaram fazer entrega do antibiótico sem o documento. A Panda afirmou não entregar no domicílio sem receita, entretanto, indicou que a compra sem ordem médica poderia ser realizada pessoalmente.


Desde outubro de 2010, resolução aprovada pela Anvisa determina que todos os antibióticos registrados no país sejam vendidos somente com receita médica em duas vias. Sendo uma delas retida no estabelecimento farmacêutico.

A drogaria América ainda apresentou irregularidades na aplicação de remédios injetáveis. Após compra do amoxicilina, a reportagem perguntou se poderia tomar uma injeção do remédio, para uma eficácia mais rápida. O funcionário confirmou que o medicamento poderia ser aplicado durante todo o dia. Questionado sobre o farmacêutico, disse que o profissional só estaria presente no período da noite, mas que outros funcionários (técnicos em injetáveis) aplicariam.

Segundo Wagner Martins Coelho, vice-presidente do Conselho Regional de Farmácia (CRF), é necessário a presença de um farmacêutico em todos os períodos de funcionamento das drogarias. "A lei 5991/73 estabelece", disse.

Wagner ainda explicou que a aplicação de remédios injetáveis por terceiros é possível desde que supervisionada por um farmacêutico.


As drogarias Express e São Bento também foram procuradas, porém nenhuma delas aceitou vender o antibiótico sem receita médica.

Denúncias

O vice-presidente do CRF, Wagner Coelho, informou que o Conselho não havia recebido nenhuma denúncia contra as farmácias da Capital. "Recebemos mais denúncias municipais, a população geralmente não denuncia, pois também quer comprar medicamentos sem receita", lamentou.

As denúncias recebidas pelo CRF são investigadas por fiscal. Caso sejam comprovadas, o Conselho informa a vigilância sanitária para que autue contra o estabelecimento. O não cumprimento das resoluções estabelecidas pela Anvisa pode gerar multa e até o fechamento da drogaria. Segundo Wagner, a pena também cabe aos farmacêuticos. "A culpa das irregularidades é tanto da farmácia quanto do farmacêutico", ressaltou.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO