03.10.2011 | 12h28


CIDADES / FARDA MANCHADA

Curso para sargentos dos Bombeiros é anulado por "apadrinhamento"

FERNANDA LEITE      17h14
DA REDAÇÃO

O Governo do Estado suspendeu temporariamente o processo de matrículas dos aprovados no curso de Formação de Sargento (CFS) do Corpo de Bombeiros. A motivação partiu por meio de denúncia anônima, na qual alunos levantaram suspeitas de que pessoas com indicações politicas e ligadas às altas patentes da Corporação não teriam sido aprovadas no processo seletivo. No total são 27 vagas para homens e três para mulheres.

O secretário chefe da Casa Civil, José Lacerda, disse que o jurídico da Casa Civil achou necessário checar o teor da denúncia. "Dentro de 30 dias, teremos a resposta sobre este caso. Foi uma denúncia anônima e tem que ser investigada", disse o secretário. Os candidatos já realizaram o processo intelectual, avaliação física e psicológica e médica.

"Alguém ficou insatisfeito por não ter conseguido entrar e realizou esta denúncia. Eu penso que o governo aceitou a denúncia, já que amigos, parentes de parlamentares e também de oficiais não conseguiram passar nas provas", revelou uma fonte de dentro da Corporação ao RepórterMT.

Um cabo que não quis se identificar com medo de represálias, relatou que um parlamentar muito influente mandou um "recado" para Casa Civil, pedindo a anulação do processo. A informação é que uma mulher identificada pelo nome de "Andréa" não teria conseguido passar nas provas.

De acordo com o Edital, a matrícula aconteceria hoje (30). O salário inicial de um cabo ou soldado é de R$ 1,9 mil, dos mais antigos é de R$ 2,7 mil. Já de um sargento o salário chega a R$ 3,7 mil.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO