10.06.2011 | 19h20


CIDADES

Coronéis da PM ameaçam entrar em greve em MT

FERNANDA LEITE 17h28
DA REDAÇÃO

Os coronéis da Polícia Militar de Mato Grosso ameaçam entrar em greve nos próximos dias. O motivo seria a equiparação com teto salarial dos delegados do Judiciário, que recebem hoje um salário de R$ 14,7 mil com acréscimo de verba indenizatória paga pelo Estado, que varia entre R$ 2 mil a R$ 6 mil, mensalmente. Verba que os coronéis não têm direito.

"Iremos tomar medidas, talvez uma "greve branca", queremos o mesmo salário dos delegados. O governo não pode ter este tipo de tratamento desigual. As consequências poderão vir se caso o Estado não acatar nosso pedido", disse o presidente da Associação dos Oficiais da PM, ex-comandante geral da PM coronel Leovaldo Sales.

Na semana passada o secretário de Estado de Administração Cezar Zílio esteve reunido com a classe de coronéis. Porém nada foi resolvido.

Os coronéis recebem em torno de R$ 14,7 mil sem acréscimo de benéficos. O RepórterMT tentou entrar em contato por telefone com o secretário de Administração do Estado, Cesar Roberto Zílio, mas não obteve resposta, o celular estava na caixa de mensagem. Através da assessoria de Zílio, obtivemos as informações de que os coronéis não estão querendo verba indenizatória, e sim aumento salarial. Porém o governo irá oferecer uma proposta. "Os coronéis estão em fase de negociação com o secretário Cesar", disse a assessoria, que não informou qual será a porcentagem no aumento dos coronéis.

A assessoria informou ainda, que a proposta do governo do Estado é acabar com a verba indenizatória paga hoje para qualquer funcionário público.

No mês de maio, os fiscais de tributos estaduais, já tiveram o benéfico de verba indenizatória cancelada.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO