22.09.2011 | 16h36


CIDADES

Conselho denuncia sucateamento generalizado da saúde em Cuiabá

INARA FONSECA      09h13
DA REDAÇÃO

Primeiro, a boa notícia: Mato Grosso apareceu pela primeira vez na lista dos estados que aplicaram mínimo de 12% de suas receitas na saúde, conforme pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde e divulgada na segunda-feira (19) pela Folha de São Paulo.

Agora, a dura realidade: mesmo com os investimentos, cerca de 70% das clínicas odontológicas públicas de Cuiabá estão paralisadas. Faltam medicamentos, vacinas e equipamentos básicos nas principais redes públicas de saúde. Os dados constam no relatório de agosto do Conselho Municipal de Saúde, entregue ao RepórterMT.

De acordo com o documento, a falta de medicamentos nas unidades de Saúde deve-se tanto a problemas de distribuição tanto a carência em estoque. Entre os ausentes na lista dos remédios estão: Losartan, Prolopa, Fenergan, Ritalina, Vitamina D, Omeprazol, Levodopa, Carbonato de Cálcio, inúmeros medicamentos da saúde mental e para tratamento de hipertensão.

Além dos medicamentos, faltam materiais para atendimento como gazes, luvas, álcool, seringa, agulhas e equipo. Na saúde da mulher, a ausência de lençol para maca comprometeu a assistência no nível primário. Na Policlínica do Planalto, a falta de lâmpada paralisou os exames de colposcopia.

De acordo com o conselheiro Edmilson Batista de Souza, neste mês, os medicamentos ainda não estão regularizados e algumas clínicas foram fechadas para reforma devido a falta de infraestrutura.

"A clínica do Osmar Cabral está fechada para reforma, mas o governo garantiu que dentro de alguns dias será implantado atendimento. A medicação está chegando gradativamente e os centros odontológicos estão sendo reformados", disse o conselheiro.

Através do documento, o Conselho identificou o sucateamento generalizado das redes primárias e secundárias de assistência a Saúde da Capital. O Conselho também apontou a não priorização das demandas da Saúde como os principais entraves para uma melhoria no sistema de saúde pública.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO