08.04.2011 | 15h23


CIDADES

Boeing 737-200 será primeira aeronave da Vasp a ser desmontada

CNJ

A primeira aeronave da massa falida da Vasp a ser desmontada pelo Programa Espaço Livre, da Corregedoria Nacional de Justiça, será um Boeing 737-200 que está em péssimo estado. O desmonte da aeronave, que está no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, está previsto para o fim de abril. Após o desmonte será feito um leilão para a venda das peças do avião. A Força Aérea Brasileira (FAB) deverá, em breve, definir a data da operação.

O Programa Espaço Livre, lançado em fevereiro, tem como objetivo remover dos aeroportos brasileiros as aeronaves que estão sob custódia da Justiça. A primeira etapa tem como alvo as 27 aeronaves da Vasp que estão ociosas e espalhadas em aeroportos do país há cerca de seis anos. Após a retirada de todos os aviões de Congonhas, a área será devolvida para a Infraero, que poderá ampliar o aeroporto. Os aviões da Vasp hoje ocupam uma área de 170 mil m2, o que equivale a 10% do aeroporto.

A falência da Vasp, considerada a maior e mais complexa que já existiu no país, se deu em 2008. Cada aeronave da companhia tem um custo médio diário de estadia nos aeroportos de R$ 1.200, que é pago pela massa falida - ou seja, os credores -, da Vasp. Nove aeronaves encontram-se no aeroporto de Congonhas, local escolhido para o desmonte das primeiras aeronaves, devido à grande movimentação.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já está finalizando os laudos de aeronavegabilidade ou de perecimento, para indicar aquelas aeronaves que ainda teriam condições de voo. As aeronaves que não podem mais voar serão desmontadas e terão suas peças leiloadas. Já no caso do Boeing 737-200 de prefixo "PP-SMW", cujo laudo é de perecimento, será leiloado para museus de aviação por seu grande valor histórico. O avião, que foi o primeiro boeing 737-200 a voar em solo brasileiro e que realizou mais voos na bandeira de uma companhia, está localizado no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte (MG).

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO