25.07.2011 | 12h28


CIDADES

Assinaturas contra privatização começam a ser coletadas

INARA FONSECA    10h40
DA REDAÇÃO

A polêmica sobre o processo de terceirização da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap) parece estar longe de terminar. Desta vez, são os integrantes do Fórum de Luta contra a Privatização do Saneamento e em Defesa da Sanecap que tentam vetar a lei que permite a entrega da Sanecap para a iniciativa privada.

Durante toda esta segunda-feira (25), membros do Fórum estarão na Praça Alencastro colhendo assinaturas contra a "venda" da empresa.

De acordo com o vereador Lúdio Cabral (PT), membro do Fórum, não há prazo estipulado para coleta. A expectativa é que cerca de 18 mil assinaturas sejam recolhidas antes que a Prefeitura dê inicio ao processo licitatório.

Na semana passada, o prefeito Chico Galindo (PTB) anunciou que dentro de 45 dias a Prefeitura lançará o edital para contratação da empresa que cuidará da água e do esgoto da Capital. Descontados os dias do anúncio, sobram 38 dias para o edital ser lançado.

RELEMBRE O CASO

No último dia 12, através de uma manobra política, a Câmara Municipal de Cuiabá aprovou um projeto de lei criando a Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário na Capital (AMAES-Cuiabá). A medida causou revolta nos servidores da Sanecap que protestaram na Câmara e na Prefeitura. Nas duas ocasiões acusaram o prefeito e os vereadores de ladrão do povo. Dias depois, vereadores "arrependidos", admitiram rever o projeto e revogar a lei. O prefeito Chico Galindo, porém, já anunciou que vetará qualquer tentativa de anulação do processo.

Confira também:

Sanecap: vencedor de licitação terá que investir R$ 100 milhões em asfalto.

Lei aprovada na surdina determina terceirização de água e esgoto

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO