alexametrics
19.02.2011 | 08h52


CIDADES

Após denúncia, Smades interdita Chorinho por som alto

RENÊ DIÓZ 08h48
DIÁRIO DE CUIABÁ

A mais tradicional casa de samba e choro de Cuiabá foi interditada na noite desta quinta-feira por conta do volume alto da música ao vivo. Acompanhados de policiais, agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Smades) estiveram no bar Choros & Serestas, popularmente conhecido como "Chorinho", por volta das 23h30 e mandaram desligar os equipamentos de som alegando que o nível de decibéis estava em desconformidade com a Lei do Silêncio.

Presente no momento da interdição, a estudante Thaisa Pimpão, 21 anos, relata que ainda havia uma grande fila de pessoas esperando para entrar no estabelecimento quando os agentes municipais chegaram com a polícia. De repente, o som foi desligado e a estudante ouviu de um agente que o volume estava alto demais para uma área residencial naquele horário, segundo a medição em decibéis.

"Nessa hora, foi até engraçado, o pessoal começou a cantar em coro ‘Não deixa o samba morrer, não deixa o samba acabar' e começou a formar filas pra pagar no caixa, mas virou um tumulto pra sair".

No local havia cerca de 300 pessoas, segundo o músico e dono do estabelecimento, Marinho "7 Cordas". "Foi o maior constrangimento. Imagine, estamos lá há 18 anos, nunca houve uma queixa por causa de som. Vou pagar R$ 6 mil em impostos na segunda-feira e tenho trinta e duas famílias ali que dependem do Chorinho".

Marinho explica que seu advogado está tentando providenciar um mandado de segurança que permita a reabertura da casa pelo menos para hoje e amanhã, uma vez que já estava programado o fechamento do bar por 30 dias a partir de segunda-feira para as férias coletivas do pessoal. Ele demonstra indignação pelo fato de que nunca recebeu qualquer advertência pelo som por parte dos vizinhos, que são antigos e acostumados à música. Ele destaca que a casa, tradicional, inclusive já ajudou a formar muitos dos representantes do samba e do chorinho em Cuiabá, como estudantes de Música da UFMT que começaram a praticar lá.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime