06.08.2011 | 11h34


CIDADES

Apenas pequenas obras são iniciadas; grandes só no ano que vem

FERNANDA LEITE    10h30
DA REDAÇÃO

Sem nenhuma obra grande iniciada nas avenidas de Cuiabá para sediar a Copa 2014, o governador Silval Barbosa (PMDB) vem tentando passar a "impressão" de que obras já estão em andamento há meses. Silval citou como exemplo obras existentes que não têm relação com recursos destinados para as obras da Copa, como a duplicação da rodovia Cuiabá/Chapada, além de anunciar que a duplicação da Ponte Mário Andreazza, que até o momento tem apenas uma placa no local e algumas ferramentas no canteiro, já estaria acontecendo. 

"As obras já começaram e uma série duplicações já estão sendo realizadas como duplicação Cuiabá/chapada, Cuiabá/Santo Antônio, Ponte Mario Andreza e também as obras de desbloqueios que foram inauguradas hoje (04)", disse o governador. 

A Agecopa assinou no dia 4, três ordens de serviços para obras de desbloqueio do trânsito de Cuiabá, com investimento de R$ 2,3 milhão, em pavimentação asfáltica da Avenida Jurumirim (trecho da entrada da Rua Ipiranga a entrada da Avenida Dr. Ulysses Guimarães) e das ruas B, C, D, Minas Gerais (trecho da entrada na Avenida Jurumirim à entrada da Avenida dos Trabalhadores). A expectativa é que em 240 dias, sejam concluídas.

O presidente da Agecopa, Eder Moraes, explicou que as obras são necessárias para melhorar o fluxo e desafogar o trânsito durantes as grandes obras, que devem começar em janeiro do ano que vem. "O govenador tem orientado e temos antecipando o programa", disse.

Estão em andamento a construção da Arena Pantanal, e apenas drenagem e pavimentação da Av. Mário Palma e Estrada do Ribeirão (Ribeirão do Lipa). A obra de duplicação da Rodovia Emanuel Pinheiro, citada pelo governador, está parada desde a eleição passada.

VLT ou BRT

Sobre o modal de transporte para Cuiabá, Silval Barbosa explicou que a insistência do governo continua a favor do Veículo Leve Sobre Trilhos-VLT. "Estamos insistindo para que a matriz de responsabilidade seja alterada", explica o governador alegando que o Ministério das Cidades ainda não deu a autorização e caso não seja autorizado, o BRT será o modelo implantado.

Questionado sobre por que não se buscou adequar a matriz, antes de refazer o projeto, Silval "jogou" a culpa em seu antecessor Blairo Maggi (PR). "Eu não era governador na época em que a Cuiabá foi escolhida para sediar os jogos da Copa e por isso eu estou tentando mudar a partir de quando eu assumi o governo", disse.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO