alexametrics
27.09.2011 | 18h28


CIDADES

Ambulantes são retirados, mas prefeitura ainda não tem novo local

INARA FONSECA  13h00
DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Cuiabá ainda não tem local definido para abrigar os vendedores ambulantes que trabalham nas ruas centrais da Capital. Os comerciantes estão sendo retirados nesta terça-feira (27) em cumprimento a uma ação judicial instaurada pelo promotor do Meio Ambiente, Gerson Barbosa, do Ministério Público Estadual (MPE). Oficialmentem, 175 ambulantes ficaram sem local para ganhar o "pão de cada dia". O cadastro, entretanto, foi realizado pela Prefeitura em 2010.

"Não podemos fazer nada agora, temos que esperar", disse o representante do Sindicato dos Camelôs, Augusto Ferreira.

Vendedora há 20 anos de salgados e café por R$1 cada, Jandira Augusta Moraes, do bairro Tijucal, não tem nenhuma fonte de renda ou aposentadoria. Enquanto o impasse não for solucionado, Jandira terá dificuldades para pagar o aluguel de R$ 350 e as demais despesas.

"Estou preocupada, mas vou sair. Tenho que esperar outra ordem para ver pra onde vou. Eu vivo disso", lamentou Jandira.

Durante esta manhã, vendedores com cartazes escritos "Prefeito, você vai sustentar minha família?" protestaram e questionaram a ação que criminaliza os ambulantes. Apesar de a desocupação ter sido pacífica, um batalhão da polícia militar esteve presente durante a manhã em pontos estratégicos da área central de Cuiabá. Cerca de 100 policias realizaram a ronda.

No período da tarde, às 16h, os ambulantes se reunirão com autoridades na Câmara dos Vereadores para discutir os possíveis locais onde se instalarão para realizarem o comércio. A expectativa de Aparecida de Oliveira, presidente da Associação dos Camelôs, é que em três dias o impasse seja resolvido.

Por meio de assessoria, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Assuntos Fundiários afirmou que não é de sua responsabilidade assegurar um novo endereço para os ambulantes, sendo apenas sua função fiscalizar que todos sejam retirados das áreas centrais de Cuiabá.


Entenda o caso


Na última sexta-feira (02), foi determinado pelo juiz José Zuquim Nogueira, da Promotoria de Justiça de Defesa de Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural, a saída imediata dos vendedores ambulantes da área central de Cuiabá. A determinação atendia ação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Entre os argumentos para retirada dos comerciantes constam, em liminar: preservação do patrimônio público e bem estar da população.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime