alexametrics
12.08.2011 | 10h41


CIDADES

Alunos de escola em VG sofrem com falta de água e ventilação

INARA FONSECA   9h00
DA REDAÇÃO

Parte da EMEB. Governador Jayme Veríssimo de Campos, em Várzea Grande, no auge do calor e da seca do mês de agosto, não tem condições de oferecer água para todos os estudantes, além disso, na extensão da instituição (um "puxadinho" alugado pela prefeitura para atender a demanda de alunos), devido a problemas na instalação elétrica, os ventiladores não funcionam, não há janelas, nem portas instaladas e o sol entra diretamente nas salas.

"Sabe aquela música ‘era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada'? A situação é bem parecida", ironizou Georgina Defensora da Silva, coordenadora da escola, ao RepórterMT.

Com aproximadamente 1000 alunos, até o final do mês de julho (27) a escola contava apenas com um bebedouro. Na tentativa de sanar o problema, a diretora enviou bilhete aos pais pedindo que cada aluno levasse sua própria água de casa. Após o incidente, a prefeitura enviou mais um bebedouro para a instituição. "Não é o suficiente. Soluciona parcialmente o problema, continuamos aconselhando as crianças a trazerem água de casa", explicou Georgina.

A coordenadora ainda informou que a merenda na escola está irregular, como já havia apurado o RepórterMT em julho. "Não estamos recebendo carne. Hoje teve ovo, mas tem dia que nem isso tem", desabafou Georgina.

No início de 2011, para atender os alunos do 6º ano do ensino médio, antiga 5ª série, a prefeitura alugou o "puxadinho". De acordo com Georgina, intervenções não podem ser realizadas no local, pois o prédio não é da prefeitura e o dono se recusa a melhorar o ambiente com a justificativa de que o município estaria devendo aluguéis.

Enquanto a população padece, a prefeitura de Várzea Grande assinou em junho (07) contrato milionário, no valor de R$ 1.156,664, com a empresa Rosane Miranda Buffet para o aluguel de espaço físico, e fornecimento de lanches e refrigerantes para as secretarias de Administração, Saúde, Promoção Social e Educação e Cultura.

Leia também:

Servidores de VG vendem pastéis e roupas para ajudar unidade de saúde

Funcionários fazem "vaquinha" para comprar merenda em creche

Sintep denuncia "apadrinhamento" em creche pública de VG











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime