17.07.2011 | 02h42


CIDADES

91 mil deixaram MT para viver em outros estados, diz IBGE

INARA FONSECA   3h00
DA REDAÇÃO

Mato Grosso teve aumento de aproximadamente 10% do fluxo de emigração nos últimos seis anos. A constatação é da pesquisa Deslocamentos Populacionais, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), elaborada com base no Censo 2010, divulgada nesta sexta-feira (15).

De acordo com os dados, em 2004 o número de pessoas que deixaram o estado era de aproximadamente 80 mil. Em 2009, cerca de 91 mil cidadãos partiram de Mato Grosso. Entre os motivos apontados para a "fuga" estão: busca de novos desafios e oportunidades profissionais, melhores salários e o sonho de viver em grandes metrópoles.

Pedro Felipe Furlaneto, aluno de psicologia do 8º semestre da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conta que o sonho de mudança iniciou em 2009. Estimulado com as novas descobertas acadêmicas, o estudante começou a traçar planos para cursar um mestrado após a conclusão de seu curso. Entretanto, em Mato Grosso não havia cursos de pós-graduação em psicologia que o agradasse.

"Eu comecei a cultivar essa ideia de ir embora, porque aqui em Mato Grosso não tem programas de pós-graduação em Psicologia. A demanda em Cuiabá para as áreas mais tradicionais, como a clínica, já está chegando num ponto de saturação, porém faltam profissionais em outras especializações que o Estado não oferece", explicou o estudante Pedro.

Mato Grosso é o único Estado do Centro-Oeste que a taxa de emigração subiu nos últimos anos. Segundo os dados do IBGE, Brasília, Goiânia e Campo Grande tiveram grande fluxo de entrada de pessoas, com crescimento populacional entre 1,5% e 3%. O Estado de Goiás aparece no ranking entre os três que mais cresceram em todo Brasil. No Centro-Oeste, o número de pessoas que deixaram a região entre o período de 2004 e 2009 caiu para aproximadamente 15%.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO