20.03.2017 | 13h10


CASO AMOROSO

Professor é suspeito de sequestrar aluna por amor

Tad Cummins, de 50 anos, está desaparecido desde a última segunda-feira, quando teria levado consigo Elizabeth Thomas, de 15.



Um professor foi incluído à lista dos 10 criminosos mais procurados no estado do Tennessee, nos Estados Unidos, após ser acusado de sequestrar uma estudante adolescente com quem teria um caso amoroso. Tad Cummins, de 50 anos, está desaparecido desde a última segunda-feira, quando teria levado consigo Elizabeth Thomas, de 15. O caso está sendo investigado pela polícia local, que tem usado as redes sociais para pedir à população ajuda para encontrar pistas sobre os envolvidos. As informações são da rede de televisão "CNN".

Segundo a publicação, Elizabeth foi vista pela última vez por uma amiga, que a deixou na porta de um restaurante, na cidade de Columbia. De acordo com investigadores, pouco antes, Cummins havia sido visto abastecendo seu carro em um posto de gasolina próximo. Desde então, ele também é procurado.

O professor havia sido demitido dias antes, após ser acusado pela polícia por um crime de "má conduta sexual" contra uma adolescente. A vítima não teve o nome divulgado. Segundo testemunhas, Cummings já teria sido flagrado beijando Elizabeth, quando ainda era funcionário da escola onde ela estudava.

Cummins é considerado armado e estaria "fora de suas faculdades mentais", segundo a polícia. Na última sexta-feira, sua mulher fez uma apelo para que ele se entregasse.

"Tad, esse não é você. Podemos te ajudar a superar isso. Deus quer que você volte para casa", disse Kill Cummins, em uma coletiva de imprensa.

Por meio de redes sociais, a polícia tem divulgado fotos dos procurados e pedido aos moradores da região — onde os investigadores acreditam que eles ainda estejam — que ajudem com informações.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER