08.02.2019 | 09h29


CIÊNCIA E SAÚDE

Pesquisa revela que fumantes de maconha possuem níveis mais altos de testosterona

Embora o resultado seja curioso, é importante ressantar que isso não significa que a maconha seja recomendável para quem quer ter filhos.



Que a maconha causa alguns efeitos no cérebro, como a perda de memória, algunsestudos já mostram. Mas agora, pesquisadores de Harvard publicaram na revista Human Reproduction sobre a descoberta de um efeito colateral inesperado ao fumar maconha: o aumento na contagem de espermatozóides.

A equipe coletou 1.143 amostras de sêmen de 662 homens entre 2000 e 2017 com idade média de 36 anos. Eles precisaram responder se já haviam fumado pelo menos dois cigarros de maconha em algum momento de suas vidas e se eles continuavam fumando. Entre os voluntários, 55% disseram que já fumaram maconha, com 44% dizendo que fumaram no passado e 11% se assumindo como usuários atuais.

Para sua surpresa, os pesquisadores descobriram que os fumantes de maconha tinham uma contagem de espermatozóides maior do que os homens que nunca usaram a droga, uma média de 62,7 milhões de espermatozóides por milímetro em comparação com 45,4 milhões. Enquanto isso, apenas 5% dos fumantes de maconha tiveram contagem de espermatozóides abaixo do nível considerado normal pela Organização Mundial de Saúde, enquanto 12% dos não-fumantes passavam pelo mesmo.  

Os pesquisadores também coletaram amostras de sangue de 317 dos homens para avaliar seus níveis hormonais e descobriram que os que fumavam maconha tinham níveis mais altos de testosterona.

Embora o resultado seja curioso, é importante ressantar que isso não significa que a maconha seja recomendável para quem quer ter filhos. “Essas descobertas inesperadas destacam o quão pouco sabemos sobre os efeitos da maconha na saúde reprodutiva”, explicou o coautor do estudo, Jorge Chavarro. "Nossos resultados precisam ser interpretados com cautela e eles destacam a necessidade de um estudo mais aprofundado sobre os efeitos do uso da maconha sobre a saúde".

Os dados utilizados sobre o uso da droga foram os relatos dos participantes, então os detalhes que eles deram podem não ter sido precisos. Além disso, todos os homens eram brancos com educação universitária, então os resultados não podem ser aplicados à população em geral.

"Nossas descobertas foram contrárias ao que inicialmente supusemos", afirma o autor principal, Feiby Nassan. “No entanto, eles são consistentes com duas interpretações diferentes, sendo a primeira que baixos níveis de uso de maconha poderiam beneficiar a produção de espermatozóides devido ao seu efeito sobre o sistema endocanabinoide, que é conhecido por desempenhar um papel na fertilidade". Entretanto, esses benefícios são perdidos quando há um consumo excessivo da droga. 

Uma outra interpretação, segundo o pesquisador, é que homens com níveis mais altos de testosterona são mais propensos a ter comportamentos de risco, como fumar maconha.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER